Última hora
This content is not available in your region

Zuckerberg defende regulação estatal do Facebook

euronews_icons_loading
Zuckerberg defende regulação estatal do Facebook
Direitos de autor  Quelle: EBU/ARD
Tamanho do texto Aa Aa

O fundador do Facebook defendeu este sábado que a rede social deve ser regulada pelos Estados em assuntos como eleições, o discurso político ou privacidade.

Para Mark Zuckerberg, neste processo de regulação, o Facebook deve ser entendido como um órgão que está entre um meio de comunicação social e uma empresa de telecomunicações.

Na Conferência de Segurança de Munique, Zuckerberg disse que a empresa tem hoje 35 mil funcionários dedicados exclusivamente ao controlo dos conteúdos.

Destacou o empenho da empresa para não ser usada como forma de interferência em atos eleitorais, considerando que desde as eleições norte-americanas as táticas evoluíram e tornaram a rede social num elemento importante na defesa da integridade.

Esta segunda-feira, Zuckerberg tem encontros marcados, em Bruxelas, com as comissárias europeias para o Digital e para a Justiça e com o comissário para o Comércio Interno.

Numa altura em que a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) defende a aplicação de taxas mais elevadas para as gigantes tecnológicas, o fundador do Facebook diz que compreende a “frustração” dos países europeus e que aceita pagar mais impostos.