Última hora
This content is not available in your region

Cessar-fogo de uma semana no Afeganistão

euronews_icons_loading
Cessar-fogo de uma semana no Afeganistão
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

Começou, este sábado, uma semana de tréguas no Afeganistão. Este cessar-fogo é a forma dos talibãs demonstrarem boa vontade, antes da assinatura de um acordo histórico com os Estados Unidos da América, que deve ocorrer no final de fevereiro.

Em Cabul, a população anseia pelo fim de um conflito que, de acordo com a ONU, matou mais de 100 mil civis na última década.

"Uma semana não é suficiente, precisamos de uma paz permanente. Devido à insegurança, os nossos investimentos e os jovens estão a fugir do país", referiu um afegão.

Outro, assegurou estar otimista: "Estou muito feliz e otimista porque todos nós precisamos de ter paz. A paz pode ser uma grande ajuda para um país que sofre com uma guerra ininterrupta há mais de 40 anos. Se houver um cessar-fogo, as pessoas poderão viver confortavelmente".

O presidente afegão, Ashraf Ghani, assegurou que "as forças de segurança permanecem em estado de defesa ativa durante a semana", no entanto, os rebeldes talibãs não serão atacados.

Fora deste compromisso ficou o combate contra o autoproclamado Estado Islâmico e contra a Al-Qaida que, segundo Ghani, vai continuar.

O acordo entre os talibãs e Washington deve ser assinado a 29 de fevereiro, desde que seja cumprida a semana de trégua e redução da violência no país.

O tratado prevê a possibilidade de negociações diretas entre os afegãos, algo que os talibãs recusavam, a retirada gradual das tropas norte-americanas do Afeganistão e a libertação de prisioneiros.