Última hora
This content is not available in your region

Domingos Simões Pereira acusa Senegal

euronews_icons_loading
Domingos Simões Pereira acusa Senegal
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Domingos Simões Pereira foi recebido por João Lourenço em Luanda e pediu ao chefe de Estado angolano que esteja atento à situação no seu país. Em declarações aos jornalistas após o encontro, não hesitou em queixar-se de interferência externa:

"Há um país vizinho da Guiné-Bissau que assume que vai lançar o leilão de plataformas de exploração petrolífera, incluindo plataformas petrolíferas que estão dentro do território da Guiné-Bissau".

Domingos Simões Pereira acrescentou, sem papas na língua: "Estou a falar do Senegal, obviamente. O Presidente do Senegal assumiu num ‘tweet' pessoal que a CDEAO (Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental) deveria mobilizar as forças para impor o Presidente que ele acha que devia ser colocado na Guiné-Bissau, a exemplo do que já tinha feito na Gâmbia".

Em causa está um tweet de Macky Sall, considerado como uma felicitação a Umaro Sissoco Embaló pela vitória... publicado antes da Comissão Nacional de Eleições se ter pronunciado sobre o acórdão do Supremo Tribunal de Justiça que ordenou um novo apuramento dos resultados.

A ordem judicial acabou por ser ignorada e Sissoco Embaló aproveitou para marcar a tomada de posse para esta quinta-feira. O primeiro-ministro Aristides Gomes já se pronunciou, afirmando que uma tomada de posse sem esperar por uma posição do Supremo Tribunal de Justiça seria uma tentativa de golpe de Estado.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.