Última hora
This content is not available in your region

Umaro Sissoco Embaló com tomada de posse simbólica na Guiné-Bissau

euronews_icons_loading
Umaro Sissoco Embaló com tomada de posse simbólica na Guiné-Bissau
Direitos de autor  © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.   -   ANTÓNIO AMARAL
Tamanho do texto Aa Aa

Foi uma tomada de posse simbólica mas que deixou a Guiné-Bissau em pé de guerra. Umaro Sissoco Embaló jurou defender a Constituição do país numa cerimónia realizada num hotel e classificada pelo próprio governo como um "golpe de Estado". Apesar da sala estar cheia de apoiantes, a representação da comunidade internacional ficou-se pelos embaixadores da Gâmbia e do Senegal em Bissau. Quer o governo guineense, quer o Supermo Tribunal de Justiça primaram pela ausência.

Embaló foi declarado vencedor das presidenciais pela Comissão Nacional de Eleições, mas o Supremo Tribunal de Justiça ainda se encontra a analisar um recurso por supostas irregularidades do escrutínio e até já ordenou um novo apuramento nacional dos votos.

Após a tomada de posse, Embaló dirigiu-se com os apoiantes para o Palácio Presidencial, onde foi conduzida uma cerimónia de transmissão de poder pelo presidente cessante, José Mário Vaz.