Última hora
This content is not available in your region

Erdoğan quer que Bruxelas assuma responsabilidades na questão migratória

euronews_icons_loading
Erdoğan quer que Bruxelas assuma responsabilidades na questão migratória
Direitos de autor  European mass migration crisis   -   Darko Bandic
Tamanho do texto Aa Aa

O êxodo começou assim que a Turquia anunciou que não iria impedir os migrantes que tentassem chegar à Europa, na sexta-feira. A vaga migratória intensificou-se no fim de semana e de acordo com o ministro do Interior turco, Süleyman Soylu, esta segunda-feira ao início da tarde já mais de 115 mil pessoas tinham abandonado o país.

Do lado grego, as portas continuam fechadas, uma medida validada por Bruxelas mas que deixa milhares de migrantes em terra de ninguém. Para Recep Tayyip Erdoğan, chegou o momento da União Europeia assumir a sua quota de responsabilidade na situação:

"Depois de abrirmos as fronteiras, recebemos várias chamadas a pedir para as fecharmos. Disse-lhes que estava feito, que não havia volta a dar. As portas da Europa estão abertas e agora também têm de carregar o fardo."

Ancara queixa-se que Bruxelas falhou as promessas feitas aquando da assinatura de um acordo em 2016 para as duas partes cooperarem na gestão da crise migratória. A Turquia é o país que recebeu mais refugiados provenientes da Síria, um total superior a três milhões e meio.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.