Última hora
This content is not available in your region

Itália regista 793 mortos em 24 horas

euronews_icons_loading
Itália regista 793 mortos em 24 horas
Direitos de autor  PIERO CRUCIATTI/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O exército italiano foi mais uma vez mobilizado para ajudar a transportar os mortos dos hospitais de Bérgamo, no norte de Itália.

O transporte é feito para crematórios de cidades vizinhas, numa tentativa de ajudar as casas funerárias da cidade que estão sobrecarregadas por causa das vítimas da Covid-19.

O trabalho do exército lembra o número impressionante de mortes provocadas pelo surto. Nas últimas 24 horas, morreram 793 pessoas no país por causa do coronavírus. Um novo recorde de mortes diárias.

Os últimos dados dão conta de mais de 53500 infetados.

Para o presidente da Câmara de Bérgamo, o número é muito superior.

euronews

Giorgio Gori fala de uma uma lacuna muito grande ente os números oficiais e os números reais, confirmada pela experiência de famílias que têm idosos que estão a morrer em casa ou em lares.

O autarca sublinha que o número de mortes por causa do vírus é impressionante e que a causa da morte é principalmente a pneumonia.

"Mas muitas mortes não são registadas como vítimas do vírus porque ninguém fez testes a estas pessoas idosas antes ou depois da sua morte".

A região da Lombardia, principal zona económica do país, continua a ser a região mais afetada, com mais de duas mil e quinhentas mortes.

Segundo os cientistas, o recorde mundial de mortes em Itália pode estar ligado a fatores como a idade média da população ou a organização de saúde.

Depois do Japão, a Itália é o país com mais idosos no mundo.