Última hora
This content is not available in your region

As notícias mais importantes sobre o coronavírus desta terça-feira, 31 de Março de 2020

Virus Outbreak Spain
Virus Outbreak Spain   -   Direitos de autor  Manu Fernandez/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

22h00 (CET) - Comandante de porta-aviões dos EUA pede desembarque por descontrolo da pandemia

O comandante do porta-aviões norte-americano USS Theodore Roosevelt pediu autorização ao Pentágono para desembarcar a tripulação na ilha de Guam, na Micronésia, na sequência da propagação da covid-19 dentro do navio, noticiaram hoje dois jornais dos Estados Unidos.

“Não estamos em guerra. Não há razão para os militares morrerem”, disse o capitão Brett E. Crozier, através de uma carta enviada à Marinha norte-americana, citada pela agência France-Presse (AFP), que cita os diários San Francisco Chronicle e New York Times.

O comandante do USS Theodore Roosevelt explica nesta missiva que depois da descoberta de três militares contagiados pelo novo coronavírus e, apesar de o porta-aviões ter atracado no porto de Guam, a doença continuou a espalhar-se pela tripulação.

A ilha de Guam é um território insular dos Estados Unidos da América (EUA), na Micronésia, no meio do Oceano Pacífico.

21h47 (CET) - Volkswagen, Porsche e BMW param produção até 19 de abril na Alemanha

Os construtores de automóveis germânicos Volkswagen, Porsche e BMW vão prolongar a interrupção na produção na Alemanha por mais 10 dias, até 19 de abril, devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus.

A Volkswagen pediu uma redução na quantidade de trabalhadores para 10 mil na Alemanha. Por sua vez a BMW cifrou-se nos 20 mil.

A paralisação do fabrico dos componentes em várias partes do mundo provocou um estrangulamento na cadeia de produção que impedem o normal funcionamento da montagem.

Além disso, as encomendas caíram a pique, contribuindo para isso o encerramento de muitos concessionários na Europa.

Na terça-feira, o Instituto de Investigação Económica (Ifo) alemão informou que mais de 25% das empresas prevê reduzir o dia de trabalho na Alemanha nos próximos três meses, o nível mais alto desde 2010 e contra 15,3% há três meses.

Volkswagen, Audi, BMW, Daimler e o fabricante de camiões MAN já tinham informado que iriam reduzir temporariamente o dia de trabalho dos empregados, que na Alemanha é conhecido como "kurzarbeit".

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 803 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 40 mil.

20h34 (CET) - TAP avança com ‘lay-off’ para 90% dos trabalhadores

A TAP vai avançar com um processo de 'lay-off' para 90% dos trabalhadores e com a redução do período normal de trabalho em 20% para os restantes colaboradores, informou hoje a companhia aérea numa mensagem aos funcionários.

Assim, o grupo determinou "a suspensão temporária da prestação do trabalho para cerca de 90% dos colaboradores" e "uma redução do período normal de trabalho, em 20%, para os restantes 10% dos colaboradores", para fazer face ao impacto da pandemia de covid-19, que inviabiliza quase toda a operação da transportadora aérea, lê-se na mesma missiva, a que a Lusa teve acesso.

19h40 (CET) - Mais 499 mortes nos hospitais de França em 24 horas

Com mais 499 fatalidades registadas nos hospitais em 24 horas, o total de óbitos em França subiu para os 3523. O número é avançado pelo diretor-geral da Saúde, Jérôme Salomon.

São já 22.800 as pessoas hospitalizadas com Covid-19, ou seja, um aumento de 1.749 em 24 horas. De registar também, um fluxo importante de pessoas que dão entrada nos cuidados intensivos, mais 457, onde se totalizam 5.564 pacientes.

18h28 (CET) - Falecimentos e contágios diários por coronavírus parecem ter estabilizado em Itália

Os falecimentos em Itália, associados ao coronavírus, chegaram aos 12.428, depois de se registarem 837 óbitos (Ontem foram 812) nas últimas 24 horas, segundo dados da Proteção Civil.

Os novos contágios são 2.107, um crescimento ligeiramente superior ao dia anterior, mas mais de metade do que em recentes dias. O total de casos positivos são 77.635.

Desde que em fevereiro se detetou a 20 de fevereiro, o número total de contágios é de 105.792.

16H50 (CET) - Guterres defende estratégia mundial de combate para "uma crise humana"

O secretário-geral da ONU, António Guterres, defendeu hoje uma estratégia mundial concertada e coordenada para combater a propagação do novo coronavírus, alertando para as potenciais consequências trágicas desta pandemia que é, essencialmente, “uma crise humana”.

Os apelos e os alertas do secretário-geral da ONU sobre a pandemia da covid-19 foram feitos numa entrevista ao jornal digital português 7Margens (publicação exclusivamente dedicada a temas da religião e espiritualidade) hoje publicada.

Questionado sobre os esforços desenvolvidos pelos grandes atores internacionais no combate à pandemia, em especial na mais recente cimeira dos líderes do G20 (as 20 maiores economias do mundo), Guterres reconhece que foi dado um passo positivo, mas admite que a comunidade internacional ainda está muito longe de ter aquilo que é preciso.

Defende que o necessário é “em primeiro lugar, uma estratégia concertada e coordenada de supressão da transmissão do vírus” a nível mundial "sob a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS)".

15h35 (CET) - UE diz que material comprado em grupo vai demorar a chegar a Estados-membros

Os equipamentos médicos comprados em grupo a nível europeu para fazer face à pandemia da covid-19 começarão a estar disponíveis apenas “dentro de algumas semanas” em vez de no início de abril, disse hoje um porta-voz da Comissão Europeia.

“Parte do equipamento, dependendo das especificações dos contratos, poderá estar disponível dentro de algumas semanas depois de os Estados-membros assinarem os contratos com os fornecedores”, disse, na conferência de imprensa diária, o porta-voz do executivo comunitário para a Saúde, Stefan de Keersmaecker.

O porta-voz não especificou que equipamentos estão em causa, nem quando está prevista a chegada do material comprado em grupo e que a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, tinha anunciado para início de abril.

13h30 (CET) - Sobe para 160 o número de mortes associadas ao coronavírus em Portugal

Portugal registou mais 20 mortes associadas por coronavírus nas últimas 24 horas, informação avançada pela Direção-Geral da Saúde. O número total de óbitos é agora de 160, o que corresponde a um aumento de 14,1% nas fatalidades.

O número de infetados subiu para 7443, um aumento de 16,1% (mais 1.035) face a segunda-feira

Na segunda-feira, os dados oficiais revelavam um total de 140 mortes e 6.408 casos.

12h17 (CET) - Ministro da Economia admite nacionalizações para assegurar "atividades estratégicas"

O ministro da Economia considera “muito difícil” que a TAP “mantenha todos os postos de trabalho funcionais” na atual conjuntura, mas garante que o Estado assegurará, nesta e noutras empresas estratégicas, “a preservação do valor” que representam para o país.

“Nós queremos preservar a continuidade do país e das atividades que sejam estratégicas. Seguramente vamos divergir, em comunidade, sobre o que são atividades estratégicas e quais são as empresas importantes, mas o Estado português tem ferramentas para nacionalizar empresas e usá-las-á se achar conveniente”, assegurou hoje Pedro Siza Vieira em entrevista à rádio TSF, quando questionado sobre se admitia a hipótese de o Estado português vir a avançar para nacionalizações na sequência da crise gerada pela pandemia de covid-19.

11h19 (CET) - Bélgica regista morte de menina de 12 anos, num total de 705

Uma menina de 12 anos morreu na segunda-feira devido à pandemia de covid-19, anunciaram hoje as autoridades de saúde da Bélgica, que classificaram o acontecimento como “muito raro e difícil”.

“É um caso muito raro, mas que nos afeta muito, é um momento emocionalmente muito difícil porque envolve uma criança”, disse o microbiologista Emmanuel André, na conferência de imprensa diária sobre a covid-19, em que o número de mortes aumentou para 705 na Bélgica (na véspera eram 513).

“Atravessamos esta epidemia de modo solidário e vamos ultrapassá-la”, salientou, numa altura em que a Bélgica regista 876 novos casos confirmados por testes de laboratório, num total de 12.760 desde os primeiros casos de infeção pelo novo coronavírus, no início de março.

As autoridades de saúde reportaram ainda mais 485 hospitalizações (4.920), com mais 94 pacientes nos cuidados intensivos (1.021) – estando agora as camas destinadas a pacientes da covid-19 com uma ocupação média de 53% - mas há três províncias, incluindo a de Bruxelas, em que o número de casos se aproxima do limite da capacidade dos hospitais.

10h57 (CET) - Espanha regista novo recorde com 849 mortos num só dia

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 849 mortos com o novo coronavírus, um novo recorde de falecidos num só dia, elevando o balanço total para 8.189, segundo a última atualização das autoridades sanitárias.

Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um aumento de 9.222 no número de infetados, um crescimento dos novos casos positivos, depois dos 6.398 anunciados na segunda-feira.

Desde o início da pandemia, o país registou um total de 94.417 casos de covid-19, dos quais 8.189 morreram e 19.259 tiveram alta e são considerados como curados.

Na totalidade do país estão ou estiveram hospitalizadas 49.243 pessoas e, dessas, 5.607 estão ou já estiveram em unidades de cuidados intensivos.

A região com mais casos positivos de covid-19 é a de Madrid, com 27.509 infetados e 3.603 mortos, seguida pela da Catalunha (18.773 e 1.672), a de Castela-Mancha (6.424 e 708) e a do País Basco (6.320 e 325).