EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Novo hospital de campanha em Londres

Novo hospital de campanha em Londres
Direitos de autor MINISTRY OF DEFENCE
Direitos de autor MINISTRY OF DEFENCE
De  Patricia Tavares
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Reino Unido coloca em prática uma estratégia para lidar com a pandemia, mas exigem-se mais medidas para ajudar os profissionais de saúde. A reportagem de Angela Barnes, em Londres.

PUBLICIDADE

Trata-se do primeiro de três hospitais de campanha que vão entrar em funcionamento no Reino Unido. O "Excel Center" no leste de Londres, é um espaço normalmente utilizado para exposições - agora dá espaço ao hospital temporário de Nightingale.

É composto, essencialmente, por médicos, enfermeiros e outros profissionais do serviço nacional de saúde de todo o Reino Unido. Voluntários e médicos militares também se juntam às operações.

Trata-se de uma operação logística extraordinária. Para começar, existem 500 camas numa unidade de cuidados intensivos, para atender pacientes com COVID-19. E existe a possibilidade de aumentar o número de camas para perto de 4000. Mas existe a preocupação constante que os profissionais de saúde - daqui e de todo o país - ainda não tenham o equipamento necessário para se protegerem.
Angela Barnes
Euronews

O governo britânico diz que há mais equipamento a caminho, incluindo 170 milhões de máscaras. Mas, apesar das garantias, reina a escassez que coloca vidas em risco.

Os ventiladores são outra questão, os fabricantes têm ajudado na produção. Mas surge a dúvida se existirá pessoal qualificado suficiente para os manusear no hospital de Nightingale.

Para equipar camas ventiladas, é preciso uma equipa altamente treinada: enfermeiros, médicos e anestesistas altamente treinados - e não sei de onde virão estas equipas altamente treinada. É ótimo que tenhamos voluntários que oferecem ajuda, mas em relação a todas as camas ventiladas tenho dificuldade em perceber como vamos lidar com isso.
CLAUDIA PAOLONI
Presidente HCSA - Sindicado dos Médicos

Londres está a braços com mais casos de coronavírus do que qualquer outra zona do país.

Pela capital, várias ruas estão praticamente vazias. A mensagem de ficar em casa foi acatada pela maior parte das pessoas, mas persiste uma dúvida: se será suficiente para impedir que o Serviço Nacional de Saúde do Reino fique sobrecarregado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

William apareceu sem Kate na "Garden Party" de verão do Palácio de Buckingham

Jovem de 13 anos morre após ataque com espada em Londres

Sunak anuncia: voos de deportação do Reino Unido para o Ruanda devem começar dentro de poucos meses