Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: os números e as notícias de terça-feira, 14 de abril

Firefighters exit a patient on a sarcophagus stretcher from a medical tent outside the Montpellier University Hospital which houses a COVID-19 test center on April 14, 2020
Firefighters exit a patient on a sarcophagus stretcher from a medical tent outside the Montpellier University Hospital which houses a COVID-19 test center on April 14, 2020   -   Direitos de autor  PASCAL GUYOT/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

A covid-19 já fez mais de 120 mil mortos e quase dois milhões de infetados em todo o mundo, desde o início da pandemia.

Destaques do dia:

  • Portugal regista 32 mortes associadas à covid-19 e 514 infetados
  • Reino Unido com 778 mortes e 5.252 casos de infeção, em 24 horas

  • FMIprevê recessão de 8,0% em 2020 e desemprego nos 13,9%, em Portugal

  • Após a morte de 10.834 pessoas devido à covid-19, o governador de Nova Iorque acredita que o estado norte-americano está a atingir o pico da infeção

  • Secretário-geral das Nações Unidas anuncia campanha contra notícias falsas sobre a pandemia

  • Angola sem registo de casos de infeção há seis dias e mais um recuperado

20h10 (CEST) Angola sem óbitos e com mais um recuperado

Angola não regista casos de covid-19 há seis dias. De acordo com as autoridades do país, um dos pacientes recuperou, totalizando cinco casos de recuperação, desde o início da pandemia. No total, foram registados 19 casos de infeção e dois mortos devido à pandemia.

Depois do regresso de cidadãos às regiões de origem, dentro do país, 7.307 pessoas estão em confinamento domicilário. Ler mais

19:45 (CEST) Nações Unidas lançam combate às notícias falsas sobre covid-19

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, anunciou a criação de uma iniciativa para "inundar a internet com factos e ciência", com o objetivo de combater a desinformação crescente sobre o surto de coronavírus.

19h30 (CEST) França com mais 762 mortes devido à covid-19

No último dia, as autoridades francesas registaram 762 mortes associadas à pandemia, das quais 559 ocorreram em hospitais e 221 em lares, e um aumento de 5.497 casos confirmados.

Em França há um total de 103.573 casos confirmados, 15.729 mortes e 28.805 pessoas recuperadas.

18h50 (CEST) Irlanda regista 41 mortes em um dia

De acordo com o Ministério da Saúde irlandês, nas últimas 24 horas foram registados 41 óbitos e 832 novos casos de covid-19. No total, o país regista 406 mortes devido à pandemia.

O anúncio é feito no dia em que foi divulgado que a líder do partido Sinn Fein, Mary Lou McDonald, está infetada com o novo coronavírus.

18h30 (CEST) Número de mortes em Itália volta a subir, com 602 óbitos em 24 horas

Itália volta a registar um aumento do número de mortos, esta terça-feira, com 602 mortes devido a covid-19, mais 36 que no dia anterior.

No entanto, foi observado um recuo no número de infetados e hospitalizados. O número total de casos de contágio pelo coronavírus em Itália desde a deteção da doença, em 20 de fevereiro, é de 162.488 pessoas, com um aumento de 2.972 entre segunda-feira e hoje, o número mais baixo desde há várias semanas.

18h20 (CEST) Investigadores estimam mais de 300 mil infetados no Brasil

O Brasil pode ter superado os 313 mil casos de infeção, de acordo com uma análise de modelagem numérica apresentada por investigadores da Universidade de São Paulo (USP) e de outros centros de pesquisa do país.

A modelagem, divulgada esta segunda-feira, estimou que até 11 de abril haveria 313.288 infetados pela covid-19 no país, um número 15 vezes superior ao oficial naquela data, de 20.727 casos confirmados pelo Ministério da Saúde.

Em declarações prestadas esta terça-feira, o governo brasileiro justificou com os esforços no combate à pandemia a desflorestação da Amazónia em território nacional. Ler mais

O Brasil é um dos países que menos testam no mundo, embora seja o 14.° mais afetado pela pandemia. Até segunda-feira foram registados no país 105 mortes e 1.261 novos casos de infeção pela covid-19, totalizando oficialmente 1.328 óbitos e 23.430 infetados desde o início da pandemia.

17h45 (CEST) Nova Iorque com mais 778 mortes devido à pandemia

O estado de Nova Iorque registou mais 778 óbitos em 24 horas, anunciou o governador Andrew Cuomo. A covid-19 já matou pelo menos 10.834 pessoas naquele estado norte-americano desde o início da pandemia.

Durante a conferência de imprensa diária, Cuomo afirmou ainda crer que o estado de Nova Iorque esteja a atingir o pico de casos de infeção.

Não temos um rei, temos um presidente
Andrew Cuomo
Governador do estado de Nova Iorque

Ainda esta terça-feira, o governador entrou em oposição direta ao presidente Donald Trump, ao se recusar a abrir as fronteiras do estado, equanto a medida representar uma ameaça à saúde pública, mesmo que a posição represente um desrespeito a ordens presidenciais.

17H30 (CEST) Nações Unidas reprogramam 12,5 milhões de dólares para combate à pandemia em Angola

O coordenador residente das Nações Unidas em Angola, Paolo Balladelli, que falava hoje no final de uma audiência com o Presidente angolano, João Lourenço, em Luanda, disse que transmitiu ao chefe de Estado angolano que as Nações Unidas reprogramaram parte dos recursos que estão no plano de cooperação com Angola, no valor de 12,5 milhões de dólares (11,4 milhões de euros), entre os quais mais 3,5 milhões de dólares (3,2 milhões de euros) serão direcionados para apoiar províncias do sul do país.

17h00 (CEST) ONU envia avião solidário para ajudar países africanos a combater a covid-19

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou o envio de equipamento médico a todos os países do continente africano. O material chegará de avião, num voo que parte esta terça-feira de Addis Abeba, na Etiópia.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) o número de casos confirmados de infeção em África já ultrapassou os 15.000.

16h15 (CEST) Grécia vai enviar crianças migrantes para outros países da UE

O ministro grego da Migração, Notis Mitarachi, anunciou numa rádio de Atenas que "12 crianças serão realojadas no Luxemburgo (quarta-feira) e cinquenta na Alemanha (no sábado)".

A medida foi tomada depois de a Organização Não-Governamental (ONG) Human Rights Watch ter lançado uma campanha para a libertação de centenas de crianças não-acompanhadas a viver em campos de migrantes.

15h55 (CEST) Reino Unido regista 778 mortes em 24 horas

De acordo com o ministério britânico da Saúde, morreram, no total, 12.107 pessoas devido à pandemia de covid-19. O número total de casos de contágio é agora de 93.873, mais 5.252 do que no dia anterior, acrescentou.

No domingo, tinham sido registadas mais 717 mortes e 4.342 novos casos de pessoas infetadas relativamente ao dia anterior.

Os números das mortes referem-se apenas a pacientes diagnosticados com a covid-19 que morreram no hospital até às 17:00 da véspera e são compilados a partir de dados das direções regionais de Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.

14h35 (CEST) FMI prevê recessão de 8,0% em 2020 e desemprego nos 13,9% em Portugal

A economia portuguesa deverá sofrer uma recessão de 8,0% e taxa de desemprego no país aumentar para os 13,9%, em 2020, devido à pandemia de covid-19, prevê o Fundo Monetário Internacional (FMI) nas Perspetivas Económicas Mundiais, divulgadas esta terça-feira.

A única referência a Portugal nas Perspetivas Económicas Mundiais (‘World Economic Outlook’), intituladas “O Grande Confinamento”, encontra-se na tabela em que o FMI prevê uma queda de 8,0% do Produto Interno Bruto (PIB) em Portugal em 2020 e uma taxa de desemprego de 13,9%, juntamente com uma deflação de 0,2% e um saldo da conta corrente positivo em 0,3% do PIB. Ler mais

13h50 (CEST) Acompanhe em direto a conferência de imprensa da Direção-Geral de Saúde (DGS) sobre a covid-19 em Portugal

Conferência de imprensa COVID-19

Conferência de imprensa COVID-19 | Acompanhe em direto #DGS #Saúde #SNS

Publiée par Direção-Geral da Saúde sur Mardi 14 avril 2020

13h40 (CEST) Portugal regista 32 mortes associadas à covid-19 e 514 infetados

Portugal regista hoje 567 mortos associados à covid-19, mais 32 do que na segunda-feira, e 17.448 infetados (mais 514), indica o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Ler mais

12h00 (CEST) Mais de 120 mil mortos e quase dois milhões de infetados em todo o mundo

A Europa é o continente mais afetado pela pandemia de covid-19 com quase 70% (81.474) do total de óbitos registados, revelou a agência de notícias francesa AFP, a partir de dados oficiais.

Pelo menos 411.500 doentes foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

A nível nacional, os Estados Unidos, que registaram a primeira morte ligada ao coronavírus no final de fevereiro, lideram em número de óbitos e infetados, com 23.649 mortes para 582.594 casos.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são Itália, com 20.465 mortes em 159.516 casos, Espanha com 18.056 (172.541 casos), França com 14.967 mortes (136.779 casos) e Reino Unido com 11.329 mortos (88.621 casos).

11h30 (CEST) Espanha regista nova subida de mortes: mais 567 nas últimas 24 horas

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 567 mortes devido ao novo coronavírus, um aumento em relação aos 517 de segunda-feira, havendo até agora um total de 18.056 óbitos, segundo as autoridades sanitárias.

De acordo com o Ministério da Saúde espanhol, há 3.045 novos infetados, um número que volta a baixar e que é o mais baixo das últimas semanas, sendo agora o total de pessoas que contraíram a doença de 172.541. Ler mais

11h00 (CEST) Casos curados voltam a superar novas infeções na Alemanha

A Alemanha voltou a registar um número de novos casos curados de covid-19 (cerca de 3.600) superior ao número de novas infeções (2.082) nas últimas 24 horas, de acordo com o Instituto Robert Koch (RKI).

No total, o país tem agora um total de 125.097 casos diagnosticados e 2.969 vítimas mortais, mais 170 que no dia anterior, e 68.200 pessoas consideradas curadas.

A Baviera, o maior estado federado da Alemanha, concentra o maior número de infetados com covid-19, mais de 33.500 e 872 óbitos.

Lothar Wieler, diretor do RKI, sublinhou em conferência de imprensa que, apesar da tendência positiva, "ainda é cedo" para se poder falar numa contenção do novo coronavírus no país.