Última hora
This content is not available in your region

China debaixo do escrutínio do Ocidente

euronews_icons_loading
China debaixo do escrutínio do Ocidente
Direitos de autor  Ng Han Guan/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A China está debaixo do escrutínio do Ocidente. O país revê em alta o número de mortes por covid-19 em Wuhan, acrescentando quase mais 1300 vítimas mortais. Enquanto as nações levantam dúvidas sobre as origens da pandemia surgem relatos em meios de comunicação norte-americanos dizendo que o vírus pode ter sido desenvolvido em laboratório.

Segundo um artigo do Washington Post, as autoridades norte-americanas avisaram sobre um problema segurança num laboratório que estuda o coronavírus. Especialistas norte-americanos estão a investigar a ideia do vírus ter saído acidentalmente deste laboratório, em instalações governamentais, perto de Wuhan.

Os aliados de Washington estão a tratar a informação com cautela, mas dizem que a China tem muitas perguntas para responder.

"Creio que este assunto precisa de ser bastante aprofundado após a crise, é preciso avaliar todas as lições inclusive sobre o surto do vírus. Creio que é algo inevitável que deve ser dirigido pela ciência. O que acabei de dizer é que avaliaríamos a situação com muito cuidado, juntamente com todos os parceiros internacionais - com a OMS e outras organizações internacionais - sobre a origem deste surto e sobre o que pode ser feito para evitar que aconteça no futuro".
Dominic Raab
chefe da diplomacia britânica

O presidente de França, Emmanuel Macron, também questionou a forma como Pequim lidou com a pandemia, dizendo numa entrevista ao Financial Times que: "Há claramente coisas que aconteceram que desconhecemos" - embora não se estivesse a referir à teoria do laboratório de Wuhan, concretamente.

Uma teoria que foi desmentida por Pequim:

Em relação à origem e à forma de transmissão do novo coronavírus, a posição da China é clara. Sempre acreditamos que esta é uma questão científica e requer avaliação profissional de cientistas e médicos especializados. O responsável da OMS afirmou muitas vezes que não há evidências que o novo coronavírus tenha tido origem no laboratório.
Zhao Lijian
Porta-voz Ministério dos Negócios Estrangeiros da China

Com a pressão do Ocidente a aumentar, o Presidente chinês encontrou apoio em Moscovo, com Vladimir Putin a agradecer a cooperação da China durante a crise.

Embora as causas da pandemia permaneçam incertas, as consequências são evidentes, e os líderes mundiais concordam num aspeto: na necessidade de uma colaboração contínua para a ultrapassar.