Última hora
This content is not available in your region

Solidariedade contra a Covid-19 "relembra espírito de unidade da II Guerra Mundial"

euronews_icons_loading
Solidariedade contra a Covid-19 "relembra espírito de unidade da II Guerra Mundial"
Direitos de autor  Matt Dunham/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Uma vez por semana, Tanya Netherway vai às compras e entrega a um idoso na vizinhança. Ela é voluntária da plataforma 'Ajude os Idosos' que apareceu através do Instagram. É mais uma das várias iniciativas que surgiram no Reino Unido para apoiar os mais vulneráveis durante a pandemia de coronavírus.

Outra iniciativa é a "Dare to Care Packages", parte de um projeto da London School of Economics, que distribui alimentos.

Se as pessoas não conseguirem fazer o pedido dos mantimentos pela internet, familiares ou organizações não-governamentais podem fazer por eles.

"Há medidas de segurança para garantir que não há contágios de Covid-19. Por isso, desde que recebemos os produtos, quando chega ao armazém, são de imediato limpos com panos antibacterianos, com um voluntário que usa luvas. Depois disso, os produtos são transferidos para uma área descontaminada", explica Jon Lo, Cofundador da "Dare to Care Packages".

Até agora e de acordo com a organização, mais de 300 sacos com alimentos foram enviados a idosos e imuncomprometidos. Maureen, nasceu durante a II Guerra Mundial no centro de Londres e tTem estado em auto isolamento.

"As pessoas têm sido maravilhosas. E deram à comunidade aquele género de espírito que tínhamos durante a guerra", diz.

Em duas semanas, a organização caritativa "Family Meal" produziu mais de 5 mil refeições para médicos, enfermeiros, trabalhadores essenciais e pessoas vulneráveis em Londres.

O chefe Christopher Evans-Gordon, o co-fundador Aidan Christofferson e um grupo de amigos e voluntários, distribuem cerca de 600 refeições em Londres. Em duas semanas, o grupo angariou mais de 20 mil libras e cozinhou mais de 5000 refeições.

"Espero que as pessoas apreciem mais a comida e tendo em conta a cultura do deitar fora, poupem mais, partilhem e garantam que todos têm acesso. Especialmente, acho que as pessoas estão a ter a noção a importância que é ter as coisas. Porque quando os produtos começam a escassear, as pessoas começam a entrar em pânico", afirma Shaun Idzik, voluntário e subchefe de cozinha do bar-restaurante "Little Blue Door".

Juntos somos mais fortes, poderia ser o lema de todos os que dedicam o seu tempo e dinheiro aos mais vulneráveis numa época que vai ficar para a história.