Última hora
This content is not available in your region

Presidência alemã na UE quer mais diálogo com China, Rússia e EUA

euronews_icons_loading
Angela Merkel
Angela Merkel   -   Direitos de autor  Markus Schreiber/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia contaminou a agenda alemã da presidência rotativa da União Europeia, que começa a 1 de julho. Angela Merkel pretende fazer da resolução da crise sanitária a prioridade interna, sem esquecer a política externa.

"Os Estados Unidos da América são o parceiro mais importante da Europa. Estou, evidentemente, consciente de que a cooperação é atualmente mais difícil do que gostaríamos - isto é verdade no domínio do clima, no domínio do comércio, e também atualmente sobre a questão do papel das organizações internacionais na luta contra a pandemia", disse durante uma conferência da Fundação Konrad Adeneur.

Merkel frisou que as relações transatlânticas são o pilar da segurança, lembrando que "a Europa não é neutra, mas sim parte do bloco ocidental".

A chanceler teceu críticas à violação dos Direitos Humanos, das convenções e das normas internacionais por parte da Rússia, afirmando, no entanto, que a presidência alemã continuará um diálogo construtivo com Moscovo.

Merkel revelou ainda que o diálogo com Pequim será uma das traves mestras da política externa da União Europeia durante a presidência alemã.