Última hora
This content is not available in your region

Grupo Renault vai cortar 15 mil postos de trabalho

euronews_icons_loading
Fabricante automóvel francês enfrenta dificuldades financeiras
Fabricante automóvel francês enfrenta dificuldades financeiras   -   Direitos de autor  AP Photo/Christophe Ena
Tamanho do texto Aa Aa

O Grupo Renault vai cortar cerca de 15 mil postos de trabalho em todo o mundo devido às dificuldades financeiras em que se encontra.

O anúncio surgiu esta sexta-feira e a medida, incluída num plano de poupança de dois mil milhões de euros em três anos, vai afetar representações do fabricante automóvel francês em todo o mundo, incluindo 4.600 postos de trabalho em França, onde o governo, com cerca de 15% do capital do grupo, tem vindo a pressionar para não serem encerradas nenhuma das fábricas no território gaulês.

Ainda não é conhecido se este corte vai atingir a fábrica da Renault de Cacia, em Portugal, onde trabalham cerca de 1.100 pessoas e onde está inclusive anunciado um plano de investimento de 100 milhões de euros no fabrico de uma nova caixa de velocidades.

"Este projeto é vital", afirmou a diretora-geral interina da Renault, Clotilde Delbos, em comunicado.

O Grupo Renault sofre atualmente de um excesso de produção a nível mundial e, em fevereiro, já tinha anunciado as primeiras perdas em dez anos, entrando já em queda na entretanto provocada pela pandemia de Covid-19.