Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Os números e as notícias de 8 de junho, segunda-feira

AP photo
AP photo   -   Direitos de autor  Rahmat Gul/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia já fez com que mais de sete milhões de pessoas fossem infetadas em pelo menos 185 países e, de acordo com a Universidade Johns Hopkins, terá contribuído para 406,552 mortes. O total de recuperados ultrapassa os 3 milhões.

O surto de SARS-CoV-2 terá surgido em dezembro na cidade chinesa de Wuhan e teve o primeiro registo na Europa a 20 em janeiro, em França, no mesmo dia em que agora se admite ter sido também registado o primeiro caso dos EUA.

A pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março.

Atualizações:

21H16 (CET) Embaixada portuguesa em Angola vai oferecer equipamento de proteção às autoridades angolanas

A embaixada portuguesa em Angola vai oferecer às autoridades angolanas equipamento de proteção individual sanitário e medicamentos, no âmbito da comemoração do Dia de Portugal.

Segundo uma nota da embaixada portuguesa, a entrega do material é uma "expressão da gratidão dos portugueses face ao país que tão bem os acolhe".

O ato simbólico, que terá lugar na Escola Portuguesa, com a presença do embaixador português, Pedro Pessoa e Costa, acontece no momento difícil que o país atravessa, realçou a nota, diferente dos outros anos, em que se junta a comunidade portuguesa para comemorar.

20h58 (CET) Angola com mais um caso positivo

Angola registou mais um caso positivo de covid-19, subindo o total para 92 o número de infetados pelo novo coronavírus, dos quais quatro óbitos e 24 recuperados, informou a ministra da Saúde angolana.

Ler artigo completo aqui

20h20 (CET) Alberto Beltrame diz que dados "são propriedade do povo brasileiro"

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde do Brasil, Alberto Beltrame, criticou as mudanças na divulgação dos dados da pandemia de covid-19 anunciada e executada pelo Governo brasileiro, numa entrevista à Rádio Gaúcha.

"Essas informações são propriedade do povo brasileiro, não dos estados e nem do Ministério [da Saúde], que tem o direito inalienável de ter conhecimento dessa informação”, afirmou Beltrame.

O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde é uma entidade que congrega Secretárias de Saúde dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal.

Ler artigo completo aqui

19h57 (CET) Números em França continuam a descer

A França registou 54 mortos em hospitais nas últimas 24 horas no âmbito da pandemia de covid-19, o que faz subir o total de óbitos no país para 29.209, anunciou a Direção-Geral da Saúde francesa.

Desde 1 de março, morreram no país 18.859 pessoas com covid-19 em hospitais. O número de mortos nos lares estagnou nos 10.350 e só será atualizado na terça-feira.

O número de pessoas hospitalizadas devido ao novo coronavírus caiu para 12.315 e desses pacientes, 1.024 estão nos cuidados intensivos. Estes dois indicadores continuam a cair de forma consistente desde 14 de abril.

19h38 (CET) Morreram 65 pessoas nas últimas 24 horas em Itália

A Itália registou 65 mortes relacionadas com a covid-19 no último dia, o que aumenta o balanço para 33.965 vítimas mortais, e 280 novos contágios, a maioria na região da Lombardia, informou a Proteção Civil.

No total, já foram contagiadas pelo novo coronavírus 235.278 pessoas em Itália desde que há registo de casos, o primeiro a 21 de outubro, 280 das quais nas últimas 24 horas, um aumento em relação a domingo (197).

Do total de pessoas contaminadas, 33.964 perderam a vida, 65 nas últimas 24 horas, um número também superior ao registado no domingo (53), mas em linha com a tendência da última semana, no quarto país do mundo com mais vítimas mortais.

19h20 (CET) Espanha sem mortes no último dia e 48 novas infeções

O Ministério da Saúde espanhol revelou que não foram resgistados óbitos nas últimas 24 horas devido de pessoas com covid-19, mantendo-se em 27.136 o numero total de mortes desde o início da pandemia. Quanto ao número de contágios, foram diagnosticados 48 novos positivos.

De acordo com as autoridades sanitárias do país, morreram nos últimos sete dias 56 pessoas infetadas com o novo coronavírus.

O total de infetados é agora de 241.717, desde o início da pandemia. Os dados diários indicam ainda que já passaram pelos hospitais 124.348 pessoas com a doença, tendo dado entrada na última semana 145.

18h45 (CET) Melhorias na Europa mas situação global pior, diz OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) admite que a pandemia da covid-19 está a piorar no mundo apesar de progressos na Europa, indicando que há quase sete milhões de pessoas infetadas.

Na conferência de imprensa de acompanhamento da pandemia, a partir da sede da organização, em Genebra, o diretor geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, notou que o contágio com o novo coronavírus “está a melhorar na Europa, mas globalmente está a piorar”.

“Quase sete milhões de casos e quase 400 mil mortes” é o balanço global, mas em nove dos 10 dias mais recentes tem havido “mais de 100 mil novos casos”, com o número diário mais alto de novas infeções – 136 mil – atingido no domingo.

18h20 (CET) Concertos online em Angola para "ajudar" os artistas

Angola realizou os primeiros concertos e espetáculos online pagos para "ajudar artistas e criadores de conteúdos a rentabilizarem os seus trabalhos digitais", devido à covid-19, anunciou hoje a organização.

Ler artigo completo aqui

17h50 (CET) Número de casos em Moçambique sobe para 433

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais nove casos positivos de covid-19, elevando o total de infetados pelo novo coronavírus de 424 para 433 e mantendo dois óbitos, anunciou hoje a diretora de Saúde Pública.

Ler artigo completo aqui

17h17 (CET) Números diários no Reino Unido são os mais baixos desde o início do confinamento

O Reino Unido registou nas últimas 24 horas 55 mortes, o valor mais baixo num só dia durante a pandemia da covid-19 desde o início do confinamento, em 23 de março, segundo o balanço do ministério da Saúde britânico.

Escócia e Irlanda do Norte não registaram qualquer morte pelo segundo dia consecutivo, tendo o total no país subido para 40.597 mortes. No entanto estes números poderão ter sido afetados pelo atraso no registo de óbitos, habitual durante o fim de semana.

O número de casos de contágio aumentou em 1.205 infetados para 287.399, referiu o ministério da Saúde. A descida na mortalidade acontece no dia em que entrou em vigor a quarentena de duas semanas obrigatória para as pessoas que cheguem do estrangeiro ao Reino Unido para evitar a propagação da doença.

17h00 (CET) Cancelada Feira do Livro de Lima, no Peru

A Feira do Livro de Lima, no Peru, prevista realizar-se entre 17 de julho e 2 de agosto, que tinha Portugal como país convidado de honra, foi cancelada devido à pandemia de covid-19, revelou o Instituto Camões.

Face à situação de pandemia que também afeta o Peru, a Câmara Peruana do Livro informou a Embaixada de Portugal em Lima sobre a decisão de cancelar a realização da 25.ª edição da Feira Internacional do Livro (FIL) de Lima, disse à Lusa fonte do Camões - Instituto da Cooperação e da Língua.

A FIL de Lima estava prevista realizar-se entre os dias 17 de julho e 2 de agosto no Parque Próceres de la Independência, e teria Portugal como país convidado de honra, desconhecendo-se ainda quando e em que moldes se poderá vir a realizar.

Segundo a mesma fonte, “aguarda-se informação complementar por parte das competentes entidades peruanas”.

15h29 (CET) Hospitais de Londres não registam nenhuma morte nas últimas 24 horas

Não foi registada nenhuma morte relacionada com o novo coronavírus nos hospitais da capital britânica, segundo dados oficias do NHS, o Serviço Nacional de Saúde do país. A notícia foi avançada pelo canal de notícias Sky News.

15h14 (CET) Presidente da Câmara baixa do congresso brasileiro acusa governo de brincar com a morte

O presidente da câmara baixa do Congresso brasileiro, Rodrigo Maia, criticou hoje a divulgação de dados divergentes sobre número de mortos e infetados pela pandemia no país, distribuídos no domingo pelo Ministério da Saúde do Brasil.

“Brincar com a morte é perverso. Ao alterar os números, o Ministério da Saúde tapa o sol com a peneira”, escreveu Maia na sua conta pessoal na plataforma Twitter.

Ver artigo completo aqui

14h40 (CET): Bélgica com números mais baixos em relação aos últimos dias

A Bélgica registou nas últimas 24 horas um recuo do número de novos casos de covid-19, para 122, e do número de mortes devido à doença, para 11, segundo os dados oficiais divulgados hoje.

De acordo com o boletim epidemiológico, o número de novos casos de contaminação pelo coronavírus SARS-CoV-2 recuou 32 face aos da véspera – de 154 para 122 – totalizando os 59.348 desde o início da pandemia no país, em fevereiro.

O boletim dá ainda conta de 11 mortes, menos quatro do que no domingo, com um total de 9.266. Nas últimas 24 horas, foram hospitalizadas 23 pessoas, (17.477) e tiveram alta 24 (16.315). Entre o início de março e 07 de junho foram realizados 595.375 testes na Bélgica.

14h25 (CET) Portugal regista mais seis mortes nas últimas 24 horas

Segundo os dados revelados há minutos pela Direção-Geral da Saúde, morreram mais 6 pessoas em Portugal, elevando para 1.485 o número total de mortes relacionadas com a Covid-19.

O número total de infetados em todo o território português é de 34.885, depois de nesta quinta-feira terem surgido mais 192 novos casos de infeção.

13h45 (CET) Paquistão com mais de 100 mil casos positivos

O Paquistão ultrapassou os 100.000 casos de infeção pelo novo coronavírus e registou mais de 2.000 mortes, entre boatos sobre médicos que estariam a cobrar para declarar que pacientes estão infetados pelo vírus.

Hoje, o país de 207 milhões de habitantes alcançou 103.620 casos de covid-19 e 2.067 óbitos, 65 dos quais nas últimas 24 horas, de acordo com os dados mais recentes do governo paquistanês.

O aumento de infeções deve-se em parte ao facto de ter aumentado o número de testes diários realizados, 22.650 nas últimas 24 horas, totalizando 705.833 desde o início da crise, um número baixo em comparação com outros países.

Assim, o número subiu para uma média diária de 4.458 casos na semana passada, o dobro do número em relação à semana anterior.