Última hora
This content is not available in your region

Protestos contra o governo na "sombra" do vírus

euronews_icons_loading
Praça do centro histórico de Praga
Praça do centro histórico de Praga   -   Direitos de autor  Petr David Josek/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Há sinais pintados na calçada da praça do centro histórico de Praga para um protesto na "sombra" do coronavírus. O movimento "um milhão de momentos para a democracia" não quer ser acusado de violar a lei ou ser lembrado por ter colocado a saúde pública em risco.

“Preocupamo-nos com a segurança das pessoas que participam na manifestação e foi por isso que colocámos esses sinais de dois em dois metros, para as pessoas manterem a distância”, diz o organizador do protesto, Damian Koch.

Apenas 1500 pessoas, a maioria com máscaras, em vez de milhares como em novembro do ano passado foram a este lugar para protestar contra o governo checo e o primeiro-ministro Andrej Babis.

“Existem dois pontos principais neste protesto: abuso de poder em benefício de Anrej Babis e do governo e danos provocados a muitos grupos cívicos porque não têm ajudas económicas. O segundo ponto é a necessidade de apenas lançar o alerta para os problemas mas também impulsionar aqueles que podem ajudar a resolver as coisas - os partidos políticos", afirma o líder do movimento, Mikulas Minar.

Protestos idênticos com o mote: “não estão fartos?” realizaram-se em mais de 150 pontos da República Checa e todos com as mesmas regras de distanciamento e de uso de máscaras.

"Não concordo com a atuação do governo e a forma como estão a tentar resolver a situação dos empresários, das famílias e todos os cidadãos", diz um manifestante. O ativista afirma que "todos os que estão aqui não estão satisfeitos com a atual situação e isso é mais importante".

Outro argumenta que "não gosta do que o governo está a fazer e que o povo nem sequer é informado".

As pessoas estão a pedir a demissão de Andrej Babis, acusam-no de fraude e de um permanente conflito de interesses.