EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Farage denuncia situação migratória no Canal da Mancha

Farage denuncia situação migratória no Canal da Mancha
Direitos de autor Matt Dunham/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Matt Dunham/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
De  Pedro SacaduraAngela Barnes
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

À Euronews, o líder do partido do "Brexit" disse que o cenário é idêntico ao do Mediterrâneo há alguns anos. Farage sublinha que bastam 45 minutos para partir de França e chegar à costa de Dover. Desde o início do confinamento no Reino Unido, mais de mil migrantes alcançaram as costas britânicas.

PUBLICIDADE

Imagens que mostram o desespero de migrantes a atravessar o Canal da Mancha na esperança de chegar ao Reino Unido são cada vez mais frequentes. Neste momento, o número de travessias está próximo do total registado em 2019.

Nigel Farage, o líder o partido do "Brexit", surpreendeu, recentemente, uma embarcação com mais de 20 pessoas, entre elas crianças, quando se encontrava a filmar com um repórter de imagem na fronteira entre as águas territoriais britânicas e francesas. Disse que o objetivo foi provar que os barcos franceses estão a escoltar botes para a costa de Kent.

"Consegui filmar, com muita clareza, o que se estava a passar. Fi-lo uma primeira e uma segunda vez e continua a acontecer. Naturalmente, tenho insistido e questionado o ministério da Administração Interna sobre o que se está a passar, atendendo a que se deu dinheiro a França neste quadro. Começamos a ver uma operação que se parece com o Mediterrâneo há alguns anos atrás. Julgo que se tivermos um verão relativamente calmo, veremos muitos milhares de pessoas a chegar", sublinhou Farage, em entrevista à Euronews.

O Governo responde que ao abrigo da lei internacional é essencial preservar vidas e que, em alguns casos, os migrantes recusam entrar em barcos franceses. Se for esse o cenário, são acompanhados, para garantir a segurança.

Angela Barnes, Euronews - Desde que começou o confinamento, a 23 de março, mais de mil migrantes chegaram a território britânico em pequenas embarcações. Muitos são crianças que viajam sozinhas. Os trabalhadores humanitários dizem que não será de admirar se assistirmos a um aumento, atendendo ao que o surto do novo coronavírus agravou a situação nos campos de refugiados, com muitas pessoas desesperadas para encontrar terreno seguro.

As organizações de apoio aos refugiados referem que o governo gastou muito dinheiro a fortalecer o porto de Calais e que essa é a razão do aumento do número de travessias.

"No passado, os jovens podem até ter chegado na parte detrás de camiões, mas agora recorrem a botes para atravessar o Canal da Mancha. É uma viagem muito perigosa. Gostaríamos que o Governo tratasse dos documentos no lado francês, para que pudessem ter transporte seguro e fazer, depois, o pedido de asilo", refere Bridget Chapman, da Kent Refugee Action Network.

Por agora, o executivo britânico diz estar a trabalhar "incansavelmente com os parceiros franceses", para impedir que mais pessoas arrisquem a vida e para colocar termo à criminalidade nos bastidores das travessias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Canal da Mancha bate recorde de migrantes ilegais

Forças de segurança francesas tentam retomar o controlo da principal autoestrada da Nova Caledónia

Qual é o envolvimento do Azerbaijão com a França e a Nova Caledónia?