Última hora
This content is not available in your region

Manifestações em São Paulo sem medo da Covid-19

euronews_icons_loading
Manifestação pela democracia inspirada pelo movimento "Black Lives Matters"
Manifestação pela democracia inspirada pelo movimento "Black Lives Matters"   -   Direitos de autor  AP Photo/Andre Penner
Tamanho do texto Aa Aa

São Paulo foi este domingo palco, uma vez mais, de manifestações contra o racismo e a favor da democracia, e também de uma marcha de apoio ao Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

A capital do estado brasileiro com o maior número de mortes no quadro da Covid-19, teve cerca de um milhar de pessoas na rua, inspiradas pelo movimento originário dos EUA "Black Lives Matter" (tr.: "Vida dos Negros Importa"), mas tendo no alvo sobretudo o governo de Jair Bolsonaro.

A larga maioria de manifestantes usou máscara, como recomendam as regras em vigor anticoronavirus, mas não houve grande respeito pelo distanciamento social pedido repetidamente pelos organizadores do protesto.

Este foi o terceiro domingo de manifestações pró-democracia em São Paulo, desta vez organizado pelos grupos de apoio dos principais clubes de futebol paulistas, integrando alguns movimentos sociais, mas com menor participação do que nos fins de semana anteriores.

Houve também uma nova uma contra-manifestação de apoio ao Presidente, mas bem mais pequena, cerca de uma centena de pessoas, e desta vez sem registo de confrontos entre os dois grupos de manifestantes.

Manifestações à parte, o estado de São Paulo soma quase 180 mil casos de confirmados de Covid-19. Um dos mais recentes é o próprio prefeito paulista, Bruno Covas.

No geral, de acordo com um consórcio de imprensa, o Brasil soma mais de 850 mil infeções confirmadas, incluindo cerca de 43 mil mortes, das quais mais de 10.600 só em São Paulo.