EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Lukashenko descarta revolução na Bielorrússia

Lukashenko descarta revolução na Bielorrússia
Direitos de autor AP/Russian Foreign Ministry Press Service
Direitos de autor AP/Russian Foreign Ministry Press Service
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Havia uma "conspiração", mas a Bielorrússia travou-a. É assim que o presidente Lukashenko justifica a detenção do principal adversário político.

PUBLICIDADE

O presidente da Bielorrússia diz ter evitado que o país caísse nas malhas de uma conspiração externa. É desta forma que Alexander Lukashenko reage às várias críticas internacionais pela detenção de Viktor Babariko, apontado como o seu principal adversário nas eleições presidenciais deste verão.

Lukashenko está no poder desde 1994 e quer arrecadar um sexto mandato a 9 de agosto.

Babariko, até maio passado diretor de um banco ligado ao grupo energético russo Gazprom, foi intercetado sob acusações de evasão fiscal e lavagem de dinheiro. O banco foi colocado debaixo da administração estatal bielorrussa.

Os protestos eclodiram no centro de Minsk, com milhares de manifestantes a exigir a libertação de Babariko.

Vários jornalistas bielorrussos, como Yarik Kryvoi, dizem ser "muito difícil prever o que vai acontecer a partir daqui".

Muitos dizem que a gestão da crise sanitária foi a gota de água. Durante muito tempo, Lukashenko negou a existência de vítimas mortais da Covid-19. O país regista agora oficialmente quase 60 mil casos e mais de 330 mortos.

Tanto a União Europeia, como a Rússia criticaram fortemente a detenção. Bruxelas pede a saída em liberdade" imediata" do opositor e uma investigação independente. Moscovo garante que vai defender os interesses nacionais. Babariko afirma não pretender desencadear uma revolução mas salienta que "finalmente os bielorrussos acordaram".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Sondagens dão vitória a Lukashenko

Bielorrussos querem mudança

Morreu cidadão lituano detido na Bielorrússia