Covid-19: Governo catalão recomenda à população para ficar em casa

Covid-19: Governo catalão recomenda à população para ficar em casa
Direitos de autor Emilio Morenatti/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Autoridades apelam à colaboração perante o aumento do número de casos de contaminação com o novo coronavírus. O futuro próximo poderá passar por medidas mais duras de confinamento se se continuar a verificar uma progressão da Covid-19 no terreno.

PUBLICIDADE

Deslocações pela rua, só para o que for realmente imprescindível. Com este apelo, o Governo da Catalunha pede aos habitantes de Barcelona e de outros 12 municípios da área metropolitana para ficarem em casa, restringindo a socialização e o aumento desenfreado de casos de contaminação com o novo coronavírus.

Esta quinta-feira registaram-se mais 1300 novos casos, grande parte na região da capital da Catalunha.

"Cidadãos de todos os municípios envolvidos, fiquem em casa sempre que não for imprescindível sair. É o apelo que fazemos. Depende de todos vós que o contágio não se espalhe por toda a região", sublinhou, em conferência de imprensa, a porta-voz do governo catalão, Meritxell Budó.

A conselheira da Saúde da Generalitat da Catalunha, Alba Vergés, acrescentou: "Os contágios que se estão a verificar acontecem sobretudo no âmbito familiar e de ajuntamentos sociais que se verificaram na nossa atividade diária."

O principal objetivo passa agora por reduzir a atividade social. Os eventos culturais e desportivos também serão, por isso, limitados.

As autoridades alertam que o que para já é uma medida preventiva pode passar por tomar decisões mais drásticas de confinamento se a evolução da pandemia prosseguir em sentido ascendente.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Catalunha integra ensino da religião islâmica na escola pública

Incêndio em prédio de 14 andares em Valência faz pelo menos quatro mortos

Dani Alves considerado culpado de violação de uma mulher numa discoteca em Espanha