Última hora
This content is not available in your region

Hong Kong em alerta

euronews_icons_loading
Hong Kong em alerta
Direitos de autor  Vincent Yu/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Hong Kong reforçou as medidas de segurança contra a Covid-19 depois do aumento de novos casos registado nas últimas semanas e do recorde de 100 novas infeções em 24 horas registado este domingo.

A chefe do executivo da região fala de uma situação “crítica” que não está controlada.

Para Carrie Lam, esta onda de transmissão é mais difícil de enfrentar porque, pela primeira vez, houve um surto que atingiu dois lares de idosos, restaurantes, bairros, escolas e muitas indústrias.

Lam anunciou novas medidas como o uso obrigatório de máscara em locais públicos fechados e nos transportes públicos, e a obrigação de trabalhar em casa para funcionários 'não essenciais' do serviço público. Os restaurantes só podem servir comida depois das seis da tarde.

Os médicos temem que o vírus esteja a propagar-se sem ser identificado naquele território densamente povoado. Com o surto, detetado há duas semanas, há agora um total de quase 1800 infeções.

Manifestações pró-democracia

Nas últimas semanas, as autoridades proibiram as manifestações pró-democracia. Os manifestantes temem que a polícia utilize a pandemia como desculpa para reprimir os protestos, especialmente os comícios contra a nova lei de segurança nacional imposta pela China.

Apesar do número de casos em Hong Kong ainda ser baixo, em comparação com a Europa e a América, cresceu um terço nos últimos 15 dias e as autoridades dizem que esta é uma tendência que não pode ser ignorada.