Última hora
This content is not available in your region

EUA obrigam China a encerrar consulado em Houston

euronews_icons_loading
EUA obrigam China a encerrar consulado em Houston
Direitos de autor  JASON LEE/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos obrigaram a China a encerrar o seu consulado em Houston, no Texas alegadamente para "proteger a propriedade intelectual americana".

De acordo com os media de Houston, os bombeiros foram chamados ao local na terça-feira à noite, após a denúncia de que estariam a ser queimados documentos no edifíco do consulado.

No feed do Twitter da polícia da cidade lê-se que foi avistado fumo, mas as forças da ordem não foram autorizadas a entrar no edifício.

O ministro chinês dos Negócios Estrangeiros, Wang Wenbin, diz que se trata de "uma provocação unilateral dos Estados Unidos que viola as leis internacionais e as normas básicas das relações internacionais e dos acordos consulares entre a China e os Estados Unidos".

Pequim pede a a anulação da decisão e ameaça com uma "reação legítima e necessária", lembrando que há muito mais representações americanas na China do que chinesas no Estados Unidos da América.

Isto acontece no momento em que o Departamento norte-americano de Justiça acusa dois cidadãos chineses de ciberespionagem entre 2014 e 2020.

Os homens são suspeitos de ter pirateado segredos industriais - alguns relacionados com a Covid-19 - de diversas empresas americanas.

A porta-voz do Departamento de Estado, Morgan Ortagus, citou a Convenção de Viena, que diz que "os diplomatas devem respeitar as leis e as regras do país anfitrião e não interferir nos assuntos internos desse estado".

As tensões têm vindo em crescendo entre as duas maiores economias mundiais em várias frentes - guerra comercial, espionagem industrial, a pandemia da Covid-19 e também a questão da controversa lei de segurança nacional na região semiautónoma de Hong Kong.