Última hora
This content is not available in your region

Antigo guarda da SS condenado na Alemanha

euronews_icons_loading
Antigo guarda da SS condenado na Alemanha
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Um tribunal de Hamburgo, na Alemanha, condenou um homem de 93 anos a dois anos de prisão com pena suspensa por ter participado no homicídio de 5232 prisioneiros no campo de concentração nazi de Stutthof, perto de Gdansk, durante a Segunda Guerra Mundial.

Bruno D. foi um guarda da SS naquele campo, na Polónia e foi considerado culpado do envolvimento nas mortes ocorridas entre agosto de 1944 e abril de 1945.

O homem afirmou ter estado no local, mas reiterou que isso não implicava a sua culpa nos crimes.

De acordo com a porta-voz do procurador, Nana Frombach, "o acusado forneceu informações sobre as suas atividades no campo de concentração de Stutthof, sem as quais as investigações da acusação não poderiam de modo algum ter sido levadas a cabo".

O antigo guarda da SS tinha 17 ou 18 anos na época em que ocorreram os crimes e, por isso, foi julgado como menor. Nas alegações finais, Bruno D. pediu perdão pelo sofrimento causado às vítimas e aos familiares, mas não assumiu a responsabilidade nas mortes.

O Campo de Concentração de Stutthof foi inicialmente um campo de trabalho e depois tornou-se num campo de extermínio. De acordo com o sítio na internet do museu, cerca de 65 mil pessoas morreram ali. Muitos dos prisioneiros morreram fuzilados ou em câmaras de gás.