Última hora
This content is not available in your region

"Leilão único" reúne 500 anos de história da arte

euronews_icons_loading
"Leilão único" reúne 500 anos de história da arte
Direitos de autor  Alexander Zemlianichenko/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Antigos mestres e pintores contemporâneos vão marcar o regresso dos leilões da Sotheby's, depois de vários meses de interrupção por causa da pandemia. São 71 obras que abrangem mais de 500 anos de história da arte e que esta terça-feira vão fazer parte de um leilão único.

Helena Newman, presidente da Sotheby's Europe, explica que as alterações por causa da Covid-19 e o calendário de leilões deram tempo para pensar em fazer as coisas de forma diferente. O entusiasmo é grande porque, pela primeira vez, vão estar reunidos num leilão de uma noite obras desde Rembrandt a Richter. A casa de leiloes acredita que a novidade vai ter impacto nos clientes em todo o mundo, tendo em conta que "cada vez mais as pessoas olham para estilos à medida que constroem as suas colecções".

Obras-Primas

Entre os destaques do leilão está uma pintura de 1927 de Joan Miró. A obra-prima do pintor espanhol e do período surrealista pode ultrapassar os 37 milhões de dólares.

Também a leilão vai o Retrato de John Edward de Francis Bacon. A obra, que apresenta o confidente de Bacon no estilo icónico do pintor do pós-guerra, deve render à Sotheby's mais de 22 milhões de dólares.

O pintor alemão Gerhard Richter está entre os artistas vivos mais caros. Um quadro do pintor alemão, de 1970, deverá ser vendido por cerca de 15 milhões de dólares.

O mercado da arte não escapou aos constrangimentos da pandemia, mas Helena Newman diz que obras de artistas como Picasso,Miró ou Bacon crescem de valor com o tempo e que “o apetite dos colecionador de arte é o mais forte dos últimos meses".