Última hora
This content is not available in your region

Covid-19 obriga a novas medidas restritivas em Espanha e França

euronews_icons_loading
Covid-19 obriga a novas medidas restritivas em Espanha e França
Direitos de autor  Joan Mateu/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Espanha decidiu encerrar os espaços de diversão noturna. É uma das novas restrições impostas para controlar uma "segunda vaga" de Covid-19. Após uma reunião de emergência nesta sexta-feira, o governo espanhol, anunciou o encerramento de bares e discotecas.

As pessoas também estão proibidas de fumar em zonas públicas se não conseguirem respeitar uma distância de pelo menos 2 metros. As visitas aos lares de idosos passam a estar limitadas: uma pessoa por dia por cada residente e com a duração máxima de uma hora.

O número diário de novas infeções tem aumentado desde fim do confinamento, a 21 de junho. Espanha assiste a uma média de cerca de 3.500 novos casos por dia. Entretanto, a Alemanha colocou toda a Espanha, exceto as ilhas Canárias, na lista dos países de risco.

França também regista um aumento das infeções

Turistas britânicos enfrentaram dificuldades para voltar para casa nesta sexta-feira, depois do Reino Unido ter colocado França e os Países Baixos nos destinos que obrigam a um período de quarentena de 14 dias. Paris prepara-se para uma ação recíproca. Estas alterações fazem com que centenas de milhares de turistas repensem os planos de viagem. Segundo o governo do Reino Unido, a medida entra em vigor neste sábado.

Segundo o diretor-geral da Saúde de França, Jérôme Salomon, a situação sanitária piorou e a evolução vai depender muito do comportamento preventivo da população. Em Paris estão proibidas as reuniões de mais de 10 pessoas se o distanciamento não puder ser garantido e o uso de máscara torna-se obrigatório em novos bairros da cidade.

A capital e Marselha foram declaradas zonas de risco com um aumento acentuado das infeções. O governo emitiu um decreto que permite que as autoridades imponham medidas mais rígidas nestas cidades.