Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Socialização de verão aumenta casos na Europa

euronews_icons_loading
Covid-19: Socialização de verão aumenta casos na Europa
Direitos de autor  Kin Cheung/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Festas de verão, reuniões familiares e locais de trabalho. Para as autoridades francesas, foram estes os motivos que contribuíram para o grande aumento de casos de coronavírus nos últimos dias no país. Serão implementadas novas medidas, mas o regresso escolar continua marcado para o dia 1 de setembro, apesar da oposição dos sindicatos dos professores e da preocupação dos pais.

O Governo espanhol também está preocupado com o surgimento de novos casos e atribui a responsabilidade à diversão nocturna e à socialização - alturas em que pessoas não respeitam o distanciamento social nem o uso de máscara. As autoridades procuram ajuda de todas as formas, até mesmo junto de influenciadores.

Há muitos influenciadores em Espanha, com grande visibilidade que nos podem ajudar a controlar a pandemia. Acho que há muitas pessoas em Espanha - talvez com menos força ou visibilidade do que estes influenciadores -, mas que têm muitos seguidores que as acompanham e que vêm as suas imagens e que nos podem ajudar a fazer com que medidas de prevenção e controlo sejam implementadas corretamente.
Fernando Simón
Diretor do Centro de Coordenação de Alertas de Espanha

Itália está a acelerar o processo de testes. Os testes da Covid-19 são agora obrigatórios na chegada a vários países da UE. A situação está mais controlada comparativamente com Espanha ou França e o Ministério da Educação italiano informa que as escolas vão abrir conforme planeado, no dia 14 de setembro.

Apesar das preocupações na Europa, o presidente francês, Emmanuel Macron, apelou à não implementação de um bloqueio total que implicaria um novo encerramento das fronteiras europeias. Pediu aos estados membros que controlem as reuniões de pessoas e imponham bloqueios locais para evitar os "danos colaterais" do confinamento.