Última hora
This content is not available in your region

China e Austrália de costas voltadas

euronews_icons_loading
Sidney, Australia
Sidney, Australia   -   Direitos de autor  AP/Australian Broadcasting Corporation
Tamanho do texto Aa Aa

Deixaram a China os dois últimos jornalistas que trabalhavam para meios de comunicação australianos.

Um regresso a casa ainda assim atribulado depois de a polícia ter bloqueado a partida, exigindo falar primeiro com os dois profissionais.

Bill Birtles, da Australian Broadcasting Corporation, e Michael Smith, da Australian Financial Review, aterraram em Sydney vindos de Xangai depois de terem estado exilados em representações diplomáticas australianas.

Os dois jornalistas, que dizem ter-se cruzado apenas uma vez, estavam a ser investigados e as suas casas foram alvo de buscas.

Na semana passada outra cidadã australiana, Cheng Lei, pivot de um noticiário económico da CGTN, o canal de estatal chinês em inglês, tinha sido detida.

A tensão entre os dois países tem vindo a aumentar e pioraram quando a Austrália pediu uma investigação independente sobre as origens e as respostas internacionais à pandemia do Covid-19.

Mas no centro da discórdia está a decisão das autoridades australianas de proibir a Huawei de participar na construção da rede 5G no país.