Última hora
This content is not available in your region

A ciência ao serviço da natureza

euronews_icons_loading
A ciência ao serviço da natureza
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Em Futuris, continuamos a conhecer as ultimas missões lançadas pela União Europeia para lidar com os principais desafios da atualidade: as alterações climáticas, a proteção das terras e dos mares e a luta contra o cancro. Há cinco setores incluídos no programa Horizon Europe, que terão início em 2021.

Mariya Gabriel, comissária europeia para a Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, sublinha as ambições deste plano.

Euronews
Mariya GabrielEuronews

"Tópicos como a luta contra o cancro, alterações climáticas, cidades inteligentes, a saúde dos solos e oceanos e água do mar foram escolhidos porque o seu impacto é enorme para os cidadãos europeus. E é por isso que precisamos de agir em conjunto, para ver resultados concretos. E esta é uma ideia sublinhada nas nossas recomendações: por exemplo, a missão contra o cancro propõe salvar três milhões de vidas até 2030".

No nosso continente vive menos de 10% da população mundial, mas 25% dos casos detetados encontram-se na Europa. Temos de agir".

"Saúde do Solo e Alimentação”

O objetivo da missão europeia “Saúde do Solo e Alimentação” é restaurar 70% das terras agrícolas até 2030. O chefe desta missão, Cees Veerman, explica que tipo de ações vão ser adotadas para atingir este objetivo.

Euronews
Cees VeermanEuronews

"Uma das mais importantes é, evidentemente, evitar uma maior degradação do solo. Para parar a impermeabilização e a poluição do solo. Temos de aumentar o nível de carbono e o armazenamento da água para que a biodiversidade, a agricultura, a produção alimentar, a silvicultura, mas também as pessoas que vivem nas cidades, possam contribuir para tornar o solo melhor e com melhores condições".

Os solos são essenciais para todos os processos que sustentam a vida na Terra. Mais de 95% dos nossos alimentos provêm da produção relacionada com a terra.

De acordo com os dados fornecidos pelo Soil Health and Food Mission Board, entre 60% e 70% dos solos europeus são insalubres em termos de presença de matéria orgânica e minerais. Isto é o resultado de uma série de práticas incorretas como o cultivo intensivo, o excesso de irrigação e a poluição com produtos químicos e pesticidas. Os solos também estão a pagar as consequências das alterações climáticas, da erosão e da subida do nível do mar.

No contexto da mudança de paradigma na agricultura, a quinta de Alfred Grand é um exemplo de uma parceria positiva entre a natureza e a ciência. Situada na Áustria, esta exploração agrícola pratica uma gestão do solo centrada na sustentabilidade.

Euronews
Alfred GrandEuronews

"Existem diferentes métodos que podem ser utilizados pelo agricultor, como a aplicação de composto, as sementeiras, a ecologização ou a rotação de culturas. Utilizamos o composto e imediatamente depois de uma colheita optamos por culturas que respeitam o ambiente. Quanto mais coloridas e mais diversas forem as minhas escolhas, mais saudáveis serão os meus solos. E assim, vou precisar de menos pesticidas".

Na quinta, o composto tem um lugar central no padrão de biodiversidade. Como resultado da decomposição da matéria orgânica, faz parte do ciclo natural. A vermicompostagem e as plantas que são semeadas para evitar a erosão e manter a fertilidade, são duas práticas preventivas para aumentar a qualidade do solo.

Para além da vermicompostagem, o composto termófilo é outro tipo de fertilizante natural que também é muito testado. É uma mistura de matéria orgânica com carbono e azoto. O processo de formação é ativado por bactérias e fungos. Pode produzir temperaturas de 60-70°C capazes de matar os organismos que causam as doenças das plantas. Os investigadores têm de analisar regularmente amostras deste composto para verificarem a sua qualidade e os componentes libertados no solo e na atmosfera,

The Market Garden (baseado no sistema que Jean Martin Fortier desenvolveu no Canadá) é um exemplo a pequena escala desta abordagem baseada na natureza. O conceito é produzir alimentos saudáveis com uma grande variedade numa pequena área e vendê-los à comunidade local. O cultivo e a colheita são feitos principalmente à mão, e não são utilizadas máquinas pesadas.

Livia Klenkhart, chefe de produção do projeto sublinha as vantagens do negócio.

Euronews
Livia KlenkhartEuronews

"O nosso modelo de produção tem muitas vantagens,** a nível económico, ecológico e social. Para mim, o mais importante é que sejam criados empregos, que tenhamos contato direto com o consumidor e que sejamos uma fonte de educação e de promoção do solo e do ambiente**".

Quando geridos de forma sustentável, os solos são fundamentais para o equilíbrio dos nossos ecossistemas.

Funcionando como uma esponja, armazenam carbono e reduzem os gases com efeito de estufa.

E os solos podem mitigar os efeitos das alterações climáticas.