EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Protestos contra desemprego marcam aniversário da presidência de Angola

Marcha contra o desemprego
Marcha contra o desemprego Direitos de autor AMPE ROGÉRIO/ 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Direitos de autor AMPE ROGÉRIO/ 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Centenas de angolanos marcharam em Luanda para exigir mais emprego, uma das promessas eleitorais de João Lourenço, que agora celebra três anos à frente da presidência de Angola.

PUBLICIDADE

Centenas de angolanos marcharam em Luanda contra as políticas económicas do governo. No país onde quase um terço da população está desempregada, exigem mais trabalho, uma das promessas eleitorais de João Lourenço, que assinala agora três anos à frente da presidência de Angola.

"O presidente João Lourenço prometeu 500 mil empregos. É sabido que o nosso país é maioritariamente jovem e é essa juventude que está sem emprego, mais de 80% dessa juventude está sem emprego. E, no entanto, dessa promessa eleitoral, até hoje, nada se materializou", afirmou um dos manifestantes em declarações à RTP.

"80% dos jovens passam os dias nas casas de Angofoot, a jogar jogos contra a justiça só para conseguir ter pelo menos uns 500 kwanzas, ou mil kwanzas diários para poder sustentar as famílias. Nós não queremos mais isso, nós queremos só que cumpram as promessas para podermos parar com as manifestações", alegou outro dos participantes na marcha.

Entre os gritos de protesto, foram sobressaindo “João Lourenço se prepara” e “2022, vais gostar”, numa alusão às eleições gerais marcadas para esse ano.

Alguns manifestantes tentaram furar a barreira policial, mas a ordem acabou por ser resposta com a ajuda da organização do protesto. De acordo com as autoridades, vários jovens foram levados para a esquadra para serem identificados.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Angola deve "passar da retórica à prática"

FMI concede mais mil milhões de dólares a Angola

Cimeira da SADC: João Lourenço pede contribuições para o "reforço da integração regional”