Última hora
This content is not available in your region

Economia global vai contrair 4,4% em 2020

euronews_icons_loading
Hong Kong
Hong Kong   -   Direitos de autor  Kin Cheung/Copyright 2018 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A crise económica mundial provocada pela pandemia de coronavírus está "longe de terminar": o aviso vem do Fundo Monetário Internacional, que apresentou esta terça-feira o seu relatório de Previsões Económicas Mundiais.

Ainda assim, a economia global está a recuperar e, segundo o FMI, deverá registar em 2020 uma contração de 4,4 por cento, ligeiramente mais otimista do que a previsão feita em junho, que apontava para 5,2 por cento.

Gian Maria Milesi-Ferretti, vice-diretor do Departamento de Pesquisa do FMI:"Aquilo a que assistimos foi uma recuperação no terceiro trimestre, que foi bastante forte, mas também parcial. Foi muito forte porque a taxa de crescimento foi elevada, se tivermos em consideração que viemos de um buraco bastante profundo. Mas parcial porque, claro, a atividade não conseguiu recuperar para os níveis pré-pandemia."

Segundo as projeções do FMI, a Zona Euro registará uma contração de mais de 8 por cento este ano, com a Espanha, um dos países mais afetados pela pandemia, a registar o maior golpe em termos económicos.

Gian Maria Milesi-Ferretti, vice-diretor do Departamento de Pesquisa do FMI:"Se a ressurgência de casos for persistente e se mostrar maligna em termos da severidade desses casos, isso representará um risco negativo para a nossa previsão. Em particular, para o próximo ano."

No relatório, o FMI indica também que a pandemia de coronavírus "reverterá os progressos feitos desde os anos 1990" em termos da redução de pobreza e aumentará a "desigualdade". Os efeitos serão sentidos tanto em países desenvolvidos, como em desenvolvimento.