Última hora
This content is not available in your region

Amy Coney Barrett ouvida pelos senadores para o Supremo Tribunal dos EUA

euronews_icons_loading
Amy Coney Barrett ouvida pelos senadores para o Supremo Tribunal dos EUA
Direitos de autor  Patrick Semansky/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

No segundo dia das audiências de confirmação para o Supremo Tribunal Federal dos Estados Unidos, a juíza Amy Coney Barrett, evitou temas polémicos como o aborto e o casamento gay. Amy Coney Barrett foi a nomeada de Donald Trump diz que, enquanto juíza, se deve guiar pela lei e não por opiniões pessoais.

Os juízes não podem simplesmente acordar um dia e dizer que têm um plano escondido. Gosto de armas. Não gosto armas. Gosto ou não gosto do aborto... não podem entrar como uma figura real a impor a sua vontade ao mundo. Há que esperar por casos e controvérsias, que são a linguagem da Constituição, para abrirem caminho através do processo.
Amy Coney Barrett
Nomeada - Supremo Tribunal dos Estados Unidos

Amy Coney Barrett também evitou controvérsias eleitorais e contornou o tema das próximas presidenciais nos Estados Unidos.

Espero que todos os membros da comissão tenham mais confiança na minha integridade, para não pensarem que permitiria que me usassem como peão, para decidir estas eleições para o povo americano.
Amy Coney Barrett
Juíza nomeada - Supremo Tribunal dos EUA

Caso a nomeação de Amy Coney Barrett seja aprovada pelo Senado, a juíza federal, de 48 anos, terá assento vitalício no tribunal mais importante dos Estados Unidos. As audiências de confirmação atraíram protestos contra e a favor da juíza nomeada, para suceder a Ruth Bader Ginsburg que morreu em setembro, depois de 27 anos ao serviço do direito norte-americano.