Última hora
This content is not available in your region

Florestas da Alemanha ameaçadas por praga de escaravelhos

euronews_icons_loading
Florestas da Alemanha ameaçadas por praga de escaravelhos
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Aqui na região de Harz, no centro da Alemanha, os abetos mortos erguem-se como fantasmas brancos no topo das colinas. São vítimas do escaravelho da casca - um pequeno inseto que está a causar grande destruição em toda a Alemanha.

A invasão do escaravelho é uma consequência da água mais quente e menos chuva. Explica Tanja Sanders, diretora do departamento de Biodiversidade Florestal do Instituto Thünen: "Trata-se de uma questão interligada. Porque quando há seca, há menos fluxo de seiva e menos resina. Portanto, o escaravelho da casca pode infetar a árvore. Quando as árvores estão saudáveis e têm muita resina, o escaravelho da casca entra e fica literalmente colado na resina para que não possa comer".

Sem o obstáculo natural colocado pela resina, o escaravelho não teve qualquer entrave para destruir 245.000 hectares de floresta na Alemanha.

Com 2020 a revelar-se também quente e seco, não há fim à vista para a praga.

"Não estamos habituados a esta seca aqui, na Europa Central. Nós, humanos, podemos adaptar-nos, temos aparelhos de ar condicionado, mas as árvores não. Aquelas que não se conseguirem habituar a isto morrerão", diz Friedhart Knolle, porta-voz do Parque Nacional de Harz.

Aqui, no sopé dos montes Harz, os voluntários estão a ajudar a replantar árvores numa área que foi destruída pelo escaravelho da casca.

Estão a plantar uma variedade de árvores, em vez de grandes áreas de monocultura de abetos. É uma forma de salvaguardar as florestas alemãs para as gerações futuras.

"A floresta não precisa de nós. Recuperaria por si só. Mas nós precisamos da floresta, diz este silvicultor. Precisamos de madeira como material de construção. É o material de construção mais amigo do ambiente que se pode imaginar, e cresce sempre de novo. Não só as bétulas e salgueiros que voltam a crescer, mas também as árvores para madeira. Estamos a plantar abeto prateado e carvalho ", diz Raik Scheffler, silvicultor.

A floresta não precisa de nós, mas nós precisamos dela.
Raik Scheffler
Silvicultor

O governo alemão investiu 800 milhões de euros para regenerar as florestas, limpar as áreas mortas e plantar árvores novas.

Novas árvores irão crescer, mas a floresta alemã terá um aspeto diferente. As alterações climáticas já estão a mudar o aspeto da Alemanha. Ninguém sabe como serão florestas como esta no futuro.