Última hora
This content is not available in your region

Polónia prepara-se para construir primeira central nuclear

euronews_icons_loading
Polónia prepara-se para construir primeira central nuclear
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Para os polacos, a ideia de uma central nuclear está frequentemente associada à ficção, ou a memórias, como o desastre de Chernobyl. A Polónia é um dos poucos países europeus sem reatores nucleares. Mas isso vai mudar em breve.

Estamos sempre a precisar de novas formas de energia. Precisamos de centrais que forneçam eletricidade suficiente para sustentar o crescimento económico dinâmico do país
Zbigniew Gryglas
Ministro das Infraestruturas da Polónia

Ainda muito dependente do carvão, a Polónia foi o único país da União Europeia a não assumir o compromisso da neutralidade carbónica até 2050. Sem acreditar na capacidade das renováveis para alimentar o crescimento económico, a estratégia polaca para a energia defende a construção de um setor de energia nuclear civil.

"Dessa forma, alcançamos algo muito importante para a Europa. Por um lado, o cuidado com o meio ambiente, por outro, a manutenção da segurança energética", afirma o especialista na área da energia Grzegorz Tobiszowski.

A ideia foi já defendida pelo presidente Andrzej Duda, que assumiu publicamente a vontade de "apostar mais no gás" e a probabilidade de o país ter centrais nucleares.

Sem conhecimentos suficientes para investir na energia nuclear, a Polónia terá de ter o apoio de outros países, como França, ou os Estados Unidos.

Em entrevista ao "Program 1", da rádio polaca, o porta-voz do executivo assumiu que o processo está já em andamento.

"Acho que podemos esperar uma tomada de decisão ainda este ano. As negociaçôes estão a decorrer, seria irresponsável da minha parte dizer que investidores preferimos, porque está em causa muito dinheiro", revelou.

Seis reatores em parte incerta

O governo estima que a energia nuclear venha a representar um quinto da produção energética do país. De acordo com o ministro polaco da Energia, Piotr Naimski, em duas décadas, a Polónia terá a sua primeira central nuclear, a produzir "de 6 a 9 gigawatts, o que vai significar a contrução de seis reatores".

No entanto, a sua localização ainda não foi divulgada.

O especialista em energia nuclear da Universidade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Cracóvia, Pawel Gajda, conta que "atualmente, fala-se sobre a localização da primeira central nuclear ser no Mar Báltico. Mas outros dois locais, a oeste de Gdansk, estão também a ser considerados".

De acordo com as projeções do executivo polaco, a nova central nuclear pode vir a custar entre 25 e 30 mil milhões de euros.

O debate sobre energia nuclear na Polónia dura há mais de 30 anos. Mas o atual governo garante que desta vez as promessas são para cumprir. E apesar dos desafios impostos pelo clima e pelas pressões políticas, a produção de energia nuclear na Polónia pode mesmo vir a tornar-se realidade.