Última hora
This content is not available in your region

Obama entra na campanha para apoiar Biden

euronews_icons_loading
Barack Obama
Barack Obama   -   Direitos de autor  Matt Slocum/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A duas semanas das presidenciais norte-americanas, Barack Obama entrou na campanha para apoiar o seu ex-vice-presidente e apelar à mobilização maciça do eleitorado para votar Joe Biden, não dando a eleição por ganha devido às sondagens favoráreis.

Obama também não poupou críticas a Donald Trump.

Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos:"Isto não é um programa de telerrealidade. Nós temos de viver com as consequências dele se mostrar incapaz de levar a sério o cargo. [...] A nossa democracia não funciona se as pessoas que são supostas ser os nossos líderes mentem todos os dias e simplesmente inventam coisas."

Trump esteve entretanto em campanha na Carolina do Norte.

Antes de arrancar para o comício, aproveitou a oportunidade para críticar as regras do segundo debate previsto para esta quinta-feira, nomeadamente a opção de silenciar microfones para manter a ordem.

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos:"Usar o 'mute' é muito injusto e é muito mau que não falem nos negócios estrangeiros. Era suposto falarem nisso. E penso que a mderadora não é nada imparcial. Os pais dela não são imparciais. Mas é assim a minha vida e, entretanto, é a Casa Branca que está atrás de mim, não é?"

Enquanto Trump multiplicava comícios em Estados-chave, Biden esteve dois dias afastado da campanha para se preparar para o segundo debate, que terá lugar em Nashville, no Tennessee.

Mais de 40 milhões de norte-americanos já votaram de forma antecipada.