Última hora
This content is not available in your region

Eleições EUA: o futuro da amizade entre os Estados Unidos e a Polónia

euronews_icons_loading
Andrzej Duda e Donald Trump
Andrzej Duda e Donald Trump   -   Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

O estilo de liderança do presidente norte-americano recebeu amplo apoio na Polónia.

Donald Trump e o seu homólogo polaco afirmam que as atuais relações entre os dois países nunca foram tão boas. Para tal, contribuíram não só a relação pessoal estreita entre os líderes dos dois países mas também a remoção da exigência de vistos para os cidadãos polacos bem como uma visão geopolítica comum.

Estamos a trabalhar com a Polónia com vista a uma resposta concertada às ações e ao comportamento desestabilizador da Rússia.
Donald Trump, Presidente dos Estados Unidos

A presença de forças militares norte-americanas e a adjudicação de contratos nas áreas da defesa e energia no valor de vários mil milhões de dólares têm reforçado a segurança económica e geopolítica da Polónia.

Graças ao presidente Trump, os Estados Unidos estão a mostrar-se absolutamente leais á Polónia, um país aliado com que podemos contar.
Andrzej Duda, Presidente da Polónia

"É com alguma preocupação que observo um ligeiro descuido nas relações com o Partido Democrata por parte das autoridades polacas. Trata-se de uma das duas forças políticas e devemos recordar que muitos políticos democratas foram muito amigos da Polónia," comentou o professor na Universidade Jagiellonian, Andrzej Mania.

Há quem pense que uma potencial vitória para Joe Biden não mudará muito as relações entre os dois países.

"Estou convencido de que, quer vença o Trump ou o Biden, as relações entre a Polónia e os Estados Unidos continuarão muito boas e mesmo que a vitória seja dos Democratas, o novo presidente não retirará as forças da NATO da Polónia. Pelo contrário, penso que irá reforça-las," afirmou o Prof. Pawel Laidler, do Instituto de Estudos Americanos.

No entanto, a coligação Direita Unida, no poder na Polónia, está a apoiar de forma informal o atual presidente norte-americano, temendo as pressões que uma potencial administração de Joe Biden possa impor.

No caso de uma vitória dos democratas, o futuro das relações não é claro e não se sabe se a América não exercerá alguma influência sobre outros países, incluíndo a Polónia, na área da defesa dos direitos dos LGBT ou outros movimentos progressistas ou liberais. Esse perigo está a causar medo na Polónia.
Arkadiusz Mularczyk, Comité Parlamentar de Assuntos Exteriores, Direito e Justiça

Se os americanos têm pouca influência sobre quem se tornará presidente da Polónia, os quase 10 milhões de polacos que vivem nos Estados Unidos têm voz sobre quem será o próximo residente da Casa Branca e não devem ser ignorados por quem quer que seja o candidato à presidência dos Estados Unidos.