Última hora
This content is not available in your region

Trump e Biden trocam acusações sobre coronavírus

euronews_icons_loading
Trump e Biden trocam acusações sobre coronavírus
Direitos de autor  Evan Vucci/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Com as eleições à porta, Donald Trump continua a ronda de comícios pelos Estados Unidos. Em Goodyear, no Arizona, juntou milhares de pessoas apesar da pandemia, muitas sem máscara e sem cumprir as regras de distanciamento. O coronavírus foi, aliás, o pretexto para o presidente norte-americano atacar o rival democrata:

"Se votarem Biden, não vão ter filhos na escola, nem entregas de diplomas, casamentos, Dia de Ação de Graças, Natal, nem Dia da Independência. Tirando isso, vão ter uma vida maravilhosa. Temos aqui historiadores que são verdadeiros americanos. Que dizem que Biden é o pior candidato de sempre numas eleições presidenciais", disse o presidente norte-americano.

Se votarem Biden, não vão ter filhos na escola, entregas de diplomas, casamentos, Dia de Ação de Graças, Natal, nem Dia da Independência.
Donald Trump
Presidente dos EUA

Tal como Trump, também Biden já votou antecipadamente, acompanhado pela esposa, no Estado do Delaware. Se for eleito, o candidato democrata promete centrar-se no combate ao coronavírus: "Mesmo se ganhar, vai ser preciso muito trabalho para acabar com esta pandemia. Não vou fazer a promessa falsa de acabar com ela carregando num interruptor. Mas posso prometer que vamos fazer o que está certo a partir do primeiro dia. Vamos deixar que seja a ciência a comandar as nossas decisões, vamos lidar com o povo norte-americano de forma honesta e nunca vamos desistir", disse Biden.

Não vou fazer a promessa falsa de acabar com a pandemia carregando num interruptor. Mas posso prometer que vamos fazer o que está certo a partir do primeiro dia.
Joe Biden
Candidato democrata à presidência dos EUA

70 milhões de eleitores depositaram já o voto nas urnas. Esta afluência recorde pode fazer das eleições deste ano as mais participadas em mais de cem anos. O voto por correspondência representa uma boa parte dessa participação registada até agora. É algo defendido pelos democratas, mas atacado pelos republicanos, em especial por Trump, que acusa de ser propício a fraudes.