Última hora
This content is not available in your region

Mundo reage com satisfação cautelosa ao anúncio da vacina contra a Covid-19

euronews_icons_loading
Mundo reage com satisfação cautelosa ao anúncio da vacina contra a Covid-19
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A notícia de que já existe uma vacina eficaz para aquela que é considerada a peste dos tempos modernos suscitou reações um pouco por todo mundo, a começar pela Organização Mundial de Saúde. Num tweet, o diretor-geral, Tedros Ghebreyesus, declarou ter recebido de bom grado o anúncio da Pfizer e da Biontech.

Joe Biden, presidente eleito dos Estados Unidos, mostrou satisfação mas refreou os ânimos ao considerar que ainda vai ser preciso algum tempo para travar o Saars-Cov-2. "É muito claro que esta vacina, mesmo aprovada, não vai ainda estar disponível nos próximos meses. O desafio perante nós é ainda imenso e continua a crescer", explicou.

O Presidente norte-americano em exercício, Donald Trump, fez referência ao mercado de ações em "alta", com a informação de que a vacina com 90 % de eficácia está a chegar.

Boris Johnson preferiu não lançar foguetes antes da festa, até porque a situação é difícil.

"Absolutamente, não podemos confiar nesta notícia como uma solução. E o maior erro que agora podemos fazer é afrouxar a nossa determinação, num momento crítico", referiu o primeiro-ministro britânico.

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, foi mais efusiva naquilo que considerou ser o "sucesso da ciência" europeia mas sublinhou ser necessário que se continue com os gestos de "proteção".

Este pode ser um ponto de viragem na batalha contra a Covid-19 e também uma luz ao fundo do túnel para a tragédia humana, social e económica que faz tremer o mundo inteiro.