Última hora
This content is not available in your region

Objetos surrealistas como escape para a pandemia

euronews_icons_loading
Objetos surrealistas como escape para a pandemia
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Da cadeira de Gaudi para a Casa Calvet, em Barcelona, à representação feita pelo Studio 65 do sofá em forma de lábios de Dali. Em Espanha, a CaixaForum de Madrid, abriu as portas aos surrelistas. A exposição "Objetos de Desejo" pretende ser o escape para a pandemia.

A coleção já esteve no Museu do Design Vitra, na Alemanha, e inclui obras dos quatros cantos do mundo. Para Mateo Kries, diretor do museu da Vitra e curador da exposição, um olhar atento sobre as peças mostra a relevância de alguns designers ainda hoje. Mostra o que parece ser a representação de um cacto e explica: "parece um cacto, mas no Studio 65 pensaram que se pode pendurar o casaco aqui. O que é típico e surreal nisto é que existe uma discrepância entre a imagem e a função do objeto. Parece um cacto, mas tem uma função que se descobre com o uso. Tem o elemento da surpresa e da irracionalidade".

Entre as 279 obras, está o camiseiro do japonês Shiro Kuramata, desenhado em 1970, o candeeiro em forma de cavalo, do coletivo feminino sueco Front, já deste milénio, e a mesa com rodas de bicicleta de Marcel Duchamp, de 1913.

A organização olha para a exposição como uma forma de contornar os efeitos da pandemia.

"Sei que há países que têm os museus fechados, mas os centros comerciais abertos. Aqui no Caixaforum estamos comprometidos com a Cultura. A cultura forma a nossa a imaginação. Estamos abertos, mantendo a distância de segurança, todas as medidas de higiene e reforçámos as visitas guiadas, porque são mais ricas," explica Isabel Salgado, diretora de exposições da fundação La Caixa.

"Objetos de desejo" é uma mostra que pode ser visitada até 21 março de 2021. As medidas de segurança por causa da Covid-19 obrigam à compra antecipada do bilhete através da internet.