Última hora
This content is not available in your region

Boris Johnson de novo em quarentena

euronews_icons_loading
Boris Johnson
Boris Johnson   -   Direitos de autor  Matt Dunham/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Boris Johnson vai ficar 14 dias em isolamento profilático porque esteve em contacto com um portador do novo coronavírus. O próprio primeiro-ministro britânico anunciou a medida num vídeo publicado no Twitter, no qual assegurou encontrar-se em muito boa forma e que até está, nas suas palavras, a "rebentar de anticorpos".

Ao que tudo indica, Johnson, que esteve internado nos Cuidados Intensivos em abril, foi notificado pelo serviço nacional de saúde britânico. O Reino Unido registou, no domingo, quase 25 mil novos casos e 168 mortes.

Em França, a batalha parece estar a ser ganha, diz o ministro da Saúde, Olivier Véran, que declara também que o país já terá passado este pico da epidemia, face à descida progressiva de novos casos de infeção nos últimos dez dias. No entanto, Véran dirigiu-se esta segunda-feira para Lyon, onde a situação continua a ser particularmente crítica.

Nos Estados Unidos, o fim de semana terminou com um balanço fortemente negativo: em apenas uma semana, registou-se mais um milhão de novos casos, totalizando 11 milhões de infeções diagnosticadas no país. Os Estados de Michigan e Washington voltaram a impor medidas rigorosas, sobretudo no que toca a ajuntamentos dentro de portas.

À margem dos impasses políticos e das dificuldades na transmissão de dossiês, os conselheiros científicos do presidente eleito Joe Biden estão já no terreno para definir estratégias na campanha de vacinação contra a Covid-19.