"A América está de regresso"

"A América está de regresso"
Direitos de autor Carolyn Kaster/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Durante apresentação do Conselho de Segurança Nacional Biden anuncia regresso dos EUA aos desafios do mundo ao lado dos aliados

PUBLICIDADE

Enfrentar adversários e não rejeitar aliados na liderança do mundo. A América está de regresso anunciou Joe Biden durante a apresentação do conselho nacional de segurança escolhido pelo Presidente eleito. Entre os rostos, John Kerry, futuro enviado especial para a crise climática.

"Esta é uma equipa que vai manter o nosso país e o povo protegidos e em segurança. É uma equipa que reflete o facto de a América estar de regresso, preparada para liderar o mundo, e não afastar-se dele. Mais uma vez, sentar-nos-emos no topo da mesa, prontos para enfrentar os nossos adversários e não rejeitar aliados", declarou Joe Biden.

Se confirmados pelo Senado, Alejandro Mayorkas, será o primeiro latino-americano a liderar o departamento de Segurança Nacional e Avril Haines a primeira diretora dos Serviços de Informação Internos.

Trump ainda não concedeu a derrota eleitoral. Uma conferência de imprensa surpresa deu a entender que o faria, mas o ainda chefe de Estado acabou por saudar o bom desempenho da bolsa de valores em Wall Street.

"É um número sagrado, 30.000. Nunca pensaram que iriam ver. É a nona vez desde o início de 2020 e a quadragésima oitava vez que quebrámos recordes durante a administração Trump", disse.

Os mercados reagiram depois de Trump ter dissipado a incerteza sobre a transição do poder para o presidente eleito. Em dia de ação de graças, dois perus foram amnistiados e escaparam ao forno, numa altura em que a batalha pelo senado ainda está viva e poderá comprometer as escolhas de Biden para o governo, se os democratas não conquistarem a vitória na segunda volta na Geórgia a 5 de janeiro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reino Unido depois de Trump. Que futuro para as relações transatlânticas?

Biden participa no primeiro 'briefing' diário

Trump dá luz verde para transição mas não admite derrota