Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido autoriza uso da vacina anticovid da Pfizer-BioNTech

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Reino Unido autoriza uso da vacina anticovid da Pfizer-BioNTech
Direitos de autor  JOEL SAGET/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido é o primeiro país a autorizar o uso de uma vacina contra a Covid-19. A proposta do consórcio Pfizer-BioNTech recebeu "luz verde" da agência britânica de regulação de medicamentos e cuidados de saúde (MHRA, na sigla original) e a vacinação pode começar já na próxima semana.

A notícia foi revelada pelo ministro da Saúde britânico, Matt Hancock. "O SNS está pronto para iniciar a vacinação no início da próxima semana. O Reino unido é o primeiro país do mundo a ter uma vacina clinicamente aprovada para distribuir," escreveu no Twitter.

O primeiro-ministro britânico reagiu com entusiasmo à noticia. Para Boris Johnson, esta é a proteção que vai permitir que os cidadãos "possam retomar as suas vidas e que a economia recupere".

O gigante farmacêutico tinha sido também o primeiro a concluir o período de testes. A substância é apresentada com uma taxa de sucesso de 95%. De acordo com a Autoridade de Saúde do Reino Unido, "vai começar a ser dispensada já na próxima semana".

Londres tem uma encomenda de 40 milhões de doses à Pfizer e deve receber 800 mil unidades já nos próximos dias.

Uma decisão descrita como um "momento histórico" pelo diretor da Pfizer, Albert Bourla, que está a desenvolver a vacina com a BioNTech da Alemanha.

A MHRA garante que esta vacina cumpre "normas rigorosas de segurança, qualidade e eficácia".

A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) deverá concluir o parecer sobre a vacina da Pfizer/BioNTech até 29 de dezembro. A avaliação da substância do laboratório norte-americano concorrente Moderna deverá ser conhecida duas semanas depois.

A EMA já fez saber que, apesar de ser uma autorização de emergência, não baixa os padrões de exigência.

O governo britânico definiu genericamente que a vacinação vai começar pelos grupos mais vulneráveis, mas ainda não apresentou um plano específico.

Na Alemanha, o primeiro país a apresentar um plano de vacinação para a Covid-19, já começaram a ser construídas unidades especiais para a inoculação - vão ser 53 no total. As autoridades alemãs dizem que o maior desafio é ter profissionais qualifcados para conseguir vacinar em larga escala.

As vacinas na Alemanha vão ser gratuitas, voluntárias, mas por convite - ou seja, as pessoas vão receber uma carta quando chegar a vez de serem vacinadas.