Última hora
This content is not available in your region

Europa acelera processo de vacinação

euronews_icons_loading
Europa acelera processo de vacinação
Direitos de autor  Markus Schreiber/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia manifestou-se sobre um comentário do governo britânico. Um ministro do Reino Unido alegou que os reguladores de vacinas do país eram melhores do que os de outros países. Bruxelas respondeu para acabar com as comparações.

Não se trata de uma competição de futebol. Estamos a falar da vida e da saúde das pessoas. E como sabem, na União Europeia temos um sistema muito desenvolvido que, aliás, ainda se aplica ao Reino Unido - para aprovar a autorização de produtos médicos - como vacinas - e colocá-los no mercado.
ERIC MAMER
Porta-voz Comissão Europeia

O comentário teve lugar depois do Reino Unido se ter transformado no primeiro país do mundo a autorizar o uso da vacina da Pfizer de combate à COVID-19, na quarta-feira.

Entretanto, vários países europeus estão a dobrar esforços para organizar a distribuição da vacina, convertendo grandes infraestruturas em centros de vacinação. Um desses espaços, num centro de convenções em Berlim, terá capacidade para vacinar mais de 3 mil pessoas por dia, até meados de dezembro.

As complicadas operações logísticas à escala planetária chamaram a atenção de hackers - foi a empresa de tecnologia IBM deu o alarme. Qualquer influência de piratas informáticos nos circuitos de manutenção da temperatura das vacinas durante o transporte pode torná-las ineficazes.

Depois de atingir um novo recorde de infeções por COVID-19 na quinta-feira, a Rússia acelerou o processo e abriu novos centros de vacinação. O presidente do país, Vladimir Putin, deu ordens para uma vacinação em massa com a fórmula russa, a Sputnik V, a partir da próxima semana.