EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Natal pode não evitar restrições

Natal pode não evitar restrições
Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Natal aproxima-se mas as restrições podem permanecer. Portugal, Alemanha e França continuam a lutar para diminuir número de novos casos de covid-19.

PUBLICIDADE

O prolongamento de estado de emergência entrou em vigor, em Portugal, esta quarta-feira, e vai manter-se até ao dia 23. O país divide-se em três níveis de restrições e as cidades com mais afetadas localizam-se, maioritariamente, no norte do país.

Em Portugal registaram-se, de acordo com os dados mais recentes, 4,097 novos casos de infeção, mais 1192 do que nas 24 horas anteriores. Ainda assim, o número de mortos diminuiu, 70 contra 81.

Já na Alemanha, chegou-se quase às seis centenas de mortes em 24 horas. Com 20,815 novos casos de infeção no mesmo período a chanceler Angela Merkel exige aos governos federais restrições mais apertadas para inverter a tendência até porque o Natal está à porta:

"Pode ser que fechar as escolas seja errado, talvez se deva optar pelo ensino à distância ou outra coisa qualquer. Não sei. Isso não é da minha competência, não quero interferir. Só quero dizer que se tivermos demasiados contactos agora, antes do Natal e depois for o nosso último Natal com os nossos avós, então teremos sido negligentes. Não devemos fazer isso", afirmou a chanceler.

Em França, e quando se esperava que o número de casos continuasse a diminuir para que as restrições fosse também aligeiradas o número de novas infeções voltou a aumentar 14,595 e, 24 horas, muito longe da meta dos 5000 definidos pelo governo para permitir viagens entre cidades. Apesar disso houve menos 195 mortes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Natal em estado de emergência

Portugal registou maior quebra salarial da Europa

Qual é o envolvimento do Azerbaijão com a França e a Nova Caledónia?