Última hora
This content is not available in your region

Natal pode não evitar restrições

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
euronews_icons_loading
Natal pode não evitar restrições
Direitos de autor  Markus Schreiber/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

O prolongamento de estado de emergência entrou em vigor, em Portugal, esta quarta-feira, e vai manter-se até ao dia 23. O país divide-se em três níveis de restrições e as cidades com mais afetadas localizam-se, maioritariamente, no norte do país.

Em Portugal registaram-se, de acordo com os dados mais recentes, 4,097 novos casos de infeção, mais 1192 do que nas 24 horas anteriores. Ainda assim, o número de mortos diminuiu, 70 contra 81.

Já na Alemanha, chegou-se quase às seis centenas de mortes em 24 horas. Com 20,815 novos casos de infeção no mesmo período a chanceler Angela Merkel exige aos governos federais restrições mais apertadas para inverter a tendência até porque o Natal está à porta:

"Pode ser que fechar as escolas seja errado, talvez se deva optar pelo ensino à distância ou outra coisa qualquer. Não sei. Isso não é da minha competência, não quero interferir. Só quero dizer que se tivermos demasiados contactos agora, antes do Natal e depois for o nosso último Natal com os nossos avós, então teremos sido negligentes. Não devemos fazer isso", afirmou a chanceler.

Em França, e quando se esperava que o número de casos continuasse a diminuir para que as restrições fosse também aligeiradas o número de novas infeções voltou a aumentar 14,595 e, 24 horas, muito longe da meta dos 5000 definidos pelo governo para permitir viagens entre cidades. Apesar disso houve menos 195 mortes.