Última hora
This content is not available in your region

Vacinas da GSK e da Sanofi só no fim de 2021

euronews_icons_loading
Vacinas da GSK e da Sanofi só no fim de 2021
Direitos de autor  Andrew Harnik/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

As vacinas da GlaxoSmithKline e da Sanofi não vão estar disponíveis antes do final de 2021. Os testes iniciais mostraram que a vacina produziu uma resposta imunitária "insuficiente" em adultos mais velhos. O produto vai ter de ser aperfeiçoado para proteger pessoas de todas as idades. Os estudos da fase IIB deverá começar em fevereiro e, se os resultados forem positivos, passarão à fase III no segundo trimestre do ano.

Entretanto, a União Europeia trabalha na distribuição das vacinas. Angela Merkel apela à coordenação para que chegue a todos: "É muito importante que as vacinas sejam entregues de forma coordenada, que cheguem a todo o lado e ao mesmo tempo. Não sei se é possível fazer de forma a que isso seja simultâneo em todos os 27 Estados-membros, mas temos de o fazer de forma muito coordenada e mostrar que todos temos igual acesso à vacina", disse a chanceler no parlamento alemão.

Temos de demonstrar ter todos (na União Europeia) igual acesso à vacina.
Angela Merkel
Chanceler da Alemanha

Os EUA deram um passo decisivo no sentido da aprovação urgente da vacina da Pfizer esta quinta-feira. Com 17 votos a favor e 4 contra, o comité consultivo da FDA (autoridade norte-americana para os medicamentos e segurança alimentar) aprovou a utilização urgente em todos os indivíduos com idade igual ou superior a 16 anos.

Vacina australiana falseia resultados do teste HIV, russos e AstraZeneca juntam-se

A vacina da Pfizer ainda não será, para já, aprovada na Austrália. O governo australiano está cauteloso, depois de ter feito um acordo para comprar milhões de doses de vacina local. No entanto, os testes dessa vacina tinham produzido falsos resultados positivos ao HIV.

Diz o primeiro-ministro Scott Morisson: "O governo tem de dar garantias aos australianos de que está a proceder com cuidado, a avançar rapidamente, mas sem pressas injustificadas"

Entretanto, a AstraZeneca e o instituto russo Gamaleia, responsável pela vacina Sputnik-V, anunciaram testes para combinar as duas vacinas, por forma a aumentar a eficácia.