Última hora
This content is not available in your region

Socorristas procuram sobreviventes na Noruega

euronews_icons_loading
Socorristas procuram sobreviventes na Noruega
Direitos de autor  EVN
Tamanho do texto Aa Aa

Há uma corrida contra o tempo na Noruega. As equipas de resgate trabalham com poucas horas de luz, temperaturas negativas e um solo de argila instável. Dez pessoas continuam desaparecidas depois do desabamento de terras de quarta-feira. O corpo de um homem já foi recuperado.

A tragédia aconteceu numa área residencial, cerca de 30 quilómetros a norte de Oslo. Uma massa de terra argilosa (700 metros de comprimento e 300 metros de largura) transportou uma dúzia de edifícios. Mais de 30 casas foram destruídas. Meia centena de pessoas de catorze casas foram retiradas das habitações ontem, além de mil que já tinham deixado a área desde quarta-feira.

As autoridades dizem que as crateras causadas pelo deslizamento estão instáveis e podem ruir e causar mais danos.

Uma zona com problemas de erosão

"Este terrível acontecimento chocou-nos a todos. Estou solidário com aqueles que entram no novo ano com tristeza e incerteza, com aqueles que perderam as suas casas e estão agora em desespero", disse o rei Harald ontem à noite no seu discurso tradicional.

A primeira-ministra, Erna Solberg, viajou para a área do deslizamento de terras e descreveu o que tinha acontecido como "dramático".

Os meios de comunicação noruegueses sublinham que vários geólogos alertaram as autoridades municipais em 2008 para "problemas de erosão significativos" na área onde foi construído o prédio que foi atingido.