Última hora
This content is not available in your region

Tibetanos no exílio elegem governo

euronews_icons_loading
Lobsang Sangay, líder político tibetano no exílio, vota em Dharamsala
Lobsang Sangay, líder político tibetano no exílio, vota em Dharamsala   -   Direitos de autor  Ashwini Bhatia/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de tibetanos acudiram às urnas este domingo na cidade indiana de Dharamsala, na primeira volta das eleições para escolher um novo líder político e renovar assentos do Parlamento no exílio.

Um escrutínio com uma mensagem clara para Pequim, como ficou sublinhado pelas palavras de Lobsang Sangay, que conclui o segundo e último mandato como líder político tibetano: "O Tibete está ocupado, mas os tibetanos no exílio são livres. E, dada a escolha e a oportunidade, preferem a democracia a um sistema autoritário."

Formado em 1959, o executivo tibetano no exílio é eleito por voto popular desde 2011. A sua sede encontra-se em Dharamsala, onde vive a maior comunidade tibetana no exílio, incluíndo o líder espiritual Dalai Lama.

Pequim não reconhece o governo tibetano e acusa o Dalai Lama de tentar separar o Tibete da China.

O líder espiritual nega qualquer intenção separatista e diz defender apenas uma maior autonomia e a proteção da cultura budista do território.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa