Última hora
This content is not available in your region

Paz entre o Catar e a Arábia Saudita

euronews_icons_loading
Paz entre o Catar e a Arábia Saudita
Direitos de autor  Amr Nabil/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os líderes do Catar e da Arábia Saudita assinaram uma declaração para marcar o início de uma nova página nas relações diplomáticas, após a decisão de Riade de acabar o embargo de um ano a Doha.

O príncipe saudita, Mohammed bin Salman, agradeceu ao Kuwait e aos Estados Unidos pelos esforços na mediação de um acordo para acabar com o bloqueio Saudita ao Catar.

Hoje precisamos de unir esforços para fazer avançar a nossa região e enfrentar os desafios que nos cercam, principalmente as ameaças que o programa nuclear do regime iraniano representa. E o programa de mísseis balísticos e projetos de sabotagem destrutiva adotados e atividades terroristas e sectárias que pretendem afetar a segurança e a estabilidade na região.
MOHAMMED BIN SALMAN
Príncipe saudita

Egito, Arábia Saudita, Bahrein e Emirados Árabes Unidos mantinham um bloqueio ao Catar porque, entre outros motivos, alegavam que o país apoiava a rede terrorista Al Qaeda. Em causa estavam questões de segurança nacional e regional.

No início do boicote, Arábia Saudita e os países do golfo apresentaram ao Catar uma lista de 13 exigências que incluíam o encerramento do canal de TV, Al Jazeera, o afastamento do Irão, o corte de relações com grupos islâmicos como a Irmandade Muçulmana e o fim do apoio ao terrorismo.

Do ponto de vista da Arábia Saudita há um novo governo norte-americano, a administração Biden, e eles, creio, tomariam uma postura muito mais dura em relação aos Sauditas. Acho que é do interesse de Riade em abordar a questão agora e não mais tarde. De uma perspectiva saudita, esta é provavelmente a abordagem menos difícil de lidar neste momento.
DANIA THAFER
Diretora executiva - GULF INTERNATIONAL FORUM

Inicialmente, Donald Trump apoiou o boicote enquanto medida contra o terrorismo, mas depois opôs-se, porque não teve a esperada frente regional unida contra o Irão. O Catar também é estrategicamente importante para os Estados Unidos já que uma importante base militar norte-americana está localizada no país.