EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

EUA investigam alegadas ações "hostis" da Rússia

EUA investigam alegadas ações "hostis" da Rússia
Direitos de autor Alex Brandon/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Alex Brandon/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Presidente Joe Biden ordenou a investigação de vários casos com alegado envolvimento russo na mesma altura em que propôs a Moscovo a extensão do tratado nuclear New START.

PUBLICIDADE

O recém-empossado Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ordenou aos serviços de inteligência norte-americanos, para investigarem o alegado envolvimento russo em várias ações consideradas como prejudiciais ao país, nomeadamente interferência eleitoral, atos de piratagem digital e também o envenenamento do líder da oposição Alexei Navalny

"Mesmo estando a trabalhar com os russos para fazer avançar os interesses dos Estados Unidos, também estamos ativos para responsabilizar a Rússia por ações irresponsáveis e também hostis. Nesse sentido, o Presidente esta a ordenar aos organismos da inteligência para ter informação completa do caso da SolarWinds, interferência russa nas eleições de 2020, o uso de armas químicas contra o líder da oposição Alexei Navalni e as alegadas recompensas contra soldados americanos no Afeganistão", declarou Jen Psaki, Secretária de Imprensa da Casa Branca.

Ao mesmo tempo, Washington propôs a Moscovo a extensão por cinco anos do tratado New START, o último pacto sobre armas nucleares que limitava a 1550 o número de ogivas nucleares.

O tratado expira no dia 5, depois de não ter havido avanços nas negociações durante a presidência de Donald Trump.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Joe Biden inicia campanha de combate à Covid-19

Chegada de Joe Biden marca uma nova era no combate à covid-19 nos EUA

Joe Biden inicia reversão do legado de Trump