Escândalo nas vacinações em Espanha

Escândalo nas vacinações em Espanha
Direitos de autor EBU
Direitos de autor EBU
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Chefe das Forças Armadas vacinado indevidamente apresenta demissão.

PUBLICIDADE

Demissões dentro do exército espanhol, onde vários elementos foram vacinados antes da sua vez. O chefe das Forças Armadas apresentou a demissão, depois de ter sido **vacinado contra a Covid-19, quando não tinha prioridade.**O General Miguel Angel Villarroya, de 63 anos, é acusado de ter tirado partido de um privilégio.

Espanha dispõe de um milhão de doses da vacinam destinadas, inicialmente, aos profissionais de saúde e residentes em lares de idosos. O país atravessa uma terceira vaga da pandemia agravada pela estirpe britânica e impõe uma série de novas restrições.

Membros de vários partidos políticos, como vereadores e presidentes de câmara, polícias, diretores de hospitais e até membros do clero foram acusados de terem recebido a primeira dose da vacina anti-covid-19, indevidamente, em Espanha.

Aconteceu um situação semelhante em Portugal, quando o Presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz teve acesso à vacina, mesmo não pertencendo a um grupo prioritário.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid

Espanha vai acabar com os vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023