EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Polícia russa detém 3 mil pessoas em manifestações por Navalny

Polícia russa detém 3 mil pessoas em manifestações por Navalny
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os protestos varreram todo o país e nem o frio, por vezes extremo, parou os manifestantes.

PUBLICIDADE

As manifestações que percorreram toda a Rússia em defesa do opositor Alexei Navalny, este sábado, tiveram como balanço cerca de três mil detenções feitas pela polícia. Dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas no conjunto do país. Os maiores protestos aconteceram nos principais centros urbanos como Moscovo e São Petersburgo, mas houve também manifestações em locais mais remotos do país, incluindo em zonas como Iakutsk, na Sibéria, onde as temperaturas chegaram aos cinquenta graus negativos. Os organizadores estimam que tenham sido cerca de 300 mil pessoas a participar nos protestos.

Só em Moscovo, a polícia fez mais de 950 detenções, incluindo de Yulia Navalnaya, a mulher de Alexei Navalny. O exterior da prisão onde o líder opositor está detido foi um dos pontos quentes da manifestação e um dos locais onde foram feitas várias detenções.

Visto como principal figura da oposição a Vladimir Putin, Alexei Navalny foi detido há uma semana, ao regressar a Moscovo vindo da Alemanha, para onde tinha ido cinco meses antes em coma depois de alvo de um envenenamento pelo qual culpa o Kremlin. As autoridades russas justificam a prisão preventiva com a violação da pena suspensa em que incorreu ao permanecer na Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Nemo quebrou o código: Concorrente da Suíça é primeira pessoa não-binária a vencer a Eurovisão