Última hora
This content is not available in your region

Cecilia Bartoli assume direção artística da Ópera de Monte-Carlo em 2023

euronews_icons_loading
Cecilia Bartoli assume direção artística da Ópera de Monte-Carlo em 2023
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

A mezzo-soprano italiana Cecilia Bartoli vai assumir a direção artística da Ópera de Monte-Carlo a partir de 2023. É a primeira mulher a dirigir a instituição do Mónaco dedicada à opera.

A nomeação foi aplaudida por vários nome do mundo da ópera.

"Cecilia Bartoli é uma lenda. Nomearam uma mulher extraordinariamente competente. Uma artista que marcou a história da arte lírica. Estou convencido de que os teatros de opéra deviam ser dirigidos por artistas. Os artistas entendem o que está em causa e tudo o que pode acontecer no palco e sabem correr riscos", disse à euronews Jean-Louis Grinda, diretor da Ópera de Monte-Carlo.

euronews
A cantora italiana Cecilia Bartoli foi nomeada diretora artística da Ópera de Monte-Carloeuronews

Artistas elogiam trabalho de Cecilia Bartoli

A dupla de encenadores Moshe Leiser e Patrice Caurier elogia o trabalho da artista italiana. “Tentar e voltar a tentar: é a atitude da Cecilia”, considerou o encenador belga Moshe Leiser.

“Ela tem uma paixão pelo teatro, pelo palco e entrega-se totalmente ao que faz", comentou o encenador francês Patrice Caurier.

Em entrevista à euronews, Cecilia Bartoli afirmou estar surpreendida pelo convite.

“O meu desejo era fazer música em conjunto, com outros músicos. Na minha juventude, comecei por tocar piano, estudei um pouco de trompete e depois canto. Mas ser diretora artística é uma surpresa para mim”.

euronews
A lendária mezzo-soprano hipnotizou o público com a última ópera cómica de Rossinieuronews

Ideias para o futuro

A ópera de Monte Carlo foi concebida por Charles Garnier, o arquiteto da Ópera de Paris.

“A sala Garnier é um lugar mágico. Acusticamente, é incrível. Todos os grandes cantores do passado e do presente cantaram aqui. Pensemos em Caruso, Beniamino Gigli, Tebaldi. A história deste teatro é extremamente importante", sublinhou a cantora italiana.

A mezzo-soprano italiana já tem ideias para o futuro.

“Gostaria de convidar artistas que nunca tiveram a possibilidade de vir aqui para que possam cantar neste palco. Há uma porta que pode se abrir para o mundo do Barroco e de Mozart. Espero continuar a trabalhar com muita energia e amor porque no fundo também se trata de amor", concluiu a cantora.